Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Terça, 18 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Defesa e Segurança/ Líder militar denuncia aliciamentos e avisa que não tolera golpe de Estado

2016-03-04

(ANG) - O chefe de Estado-Maior Geral das Forças Armada da Guiné-Bissau, Biaguê Na N’Tam, avisa que vai colocar no cemitério qualquer soldado que tentasse inverter a Ordem Constitucional no país.



Na N’Tan, que discursava na quinta-feira numa cerimónia de cumprimentos de novo ano dos oficiais das Forças Armadas guineenses, revelou que há indivíduos que ao invés de investirem os seus dinheiros na campanha de comercializacao da castanha de caju, estão a tentar instigar soldados para “criarem confusões” no país, algo que não vai ser tolerado pelo alto comando.

“Dou tolerância zero à intervenção militar na Guiné-Bissau. Nunca mais seremos parte do problema. Não há mais golpe de Estado comigo nas Forças Armadas. Qualquer soldado que o tentar não temos lugar nas prisões, mas sim nos cemitérios”, afirmou em voz alta perante militares no Estado Maior.

Para o Chefe de Estado Maior guineense, os sucessivos golpes de Estado não trouxeram nada ao país a não ser desgraça e sofrimento para o povo.

Na N’Tam, destacou que ainda há vários oficiais com sanções internacionais que não podem viajar, nem para tratamento médico no estrangeiro.

Para mudar essa situação, pede à Comunidade Internacional para levantar as sanções impostas aos oficiais guineenses.

O chefe das forças armadas guineenses promete que nunca mais haverá golpes de Estado no pais.

Na cerimonia em que esteve presente o antigo chefe das Forças Armadas, António Indjai, Biaguê apelou à união de todos para garantir a formação académica aos soldados e pediu aos oficiais para serem mais vigilantes nas suas missões de garantir a paz.

ANG/R.Jovem


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw