Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 10 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Crise Política/ Missão do Conselho de Segurança deve chegar hoje à Bissau

2016-03-07

(ANG) – Uma missao do Conselho de Seguranca da ONU chega esta segunda-feira à Bissau para apoiar na procura de uma solucao para a crise politica vigente no pais.



A revelacao foi feita no ultimo fim-de-semana, em Bissau, pelo representante local do Secretario Geral da ONU, Miguel Trovoada.

A saida de uma audiencia com o presidente da Republica, Troviada disse que a missao vem manifestar o seu interesse na evolução da crise política no país e dizer efectivamente que esta crispação deve ser ultrapassada rapidamente para que a comunidade internacional não venha a perder confiança nas autoridades guineenses.

Por seu lado, e na mesma ocasiao, o representante da União Africana, Ovídio Pequeno disse que, no próximo dia 9 do corrente, chega à Bissau uma missão de Conselho de Paz desta organizacao continental Africana para conhecer “in loco” os reais problemas, para depois se posicionar:

Na audiencia conjunta promovida pelo Presidente Mario Vaz,O Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde(PAIGC) e a mesa da Assembleia Nacional Popular(ANP) em protesto, abandonaram a sala de reunião apos a entrada dos representantes dos 15 deputados cuja perda de mandato fora declarada pelo parlamento.

As duas partes discordam com a iniciativa presidencial de fazer sentar a mesma mesa todos os envolvidos na crise.

O primeiro Vice-Presidente dos "libertadores" , Carlos Correia afirmou que enquanto o formato da reunião não se alterar o PAIGC não vai participar no encontro.

"O que nós propomos é um pacto de estabilidade governativa entre as instituições do estado e não para os grupos dos 15 deputados expulsos da ANP", acrescentou Carlos Correia que avanca ainda que o PAIGC mantera nesta sua posição pelo respeito às instituições.

Por sua vez, o primeiro vice-presidente da ANP Inácio Correia explicou que enviaram três cartas à presidência da república e não tiveram nenhuma resposta. “Todavia, ”marcamos” presença na reunião para dizer ao chefe de Estado que não estamos de acordo com a presença dos 15 na sala”, afirmou.

O porta-voz do PRS, Vítor Pereira disse entretanto que ja existe um documento de acordo político, que vai ser assinado brevemente para o pacto da estabilidade, paz e governabilidade na Guiné-Bissau.

ANG/JD/PFC/JAM/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw