Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quinta, 15 de Novembro de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Cuba/ Fidel aponta falhas no discurso de Obama

2016-03-30

(ANG) - Num artigo publicado pela imprensa cubana na segunda-feira, o líder cubano Fidel Castro comentou as declarações do Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, durante a sua visita a Cuba.



No texto, intitulado “O irmão Obama”, Fidel reflecte sobre a história das relações entre os dois países nos últimos 60 anos e critica as “palavras melosas” do Presidente norte-americano no discurso proferido no Gran Teatro Alicia Alonso, em Havana.

Segundo Fidel, as declarações de Obama em prol de “esquecer o passado e olhar para o futuro” desconsideram o histórico de agressões dos EUA contra Cuba. “Depois de um bloqueio impiedoso que já dura há quase 60 anos, e os que morreram nos ataques mercenários a barcos e portos cubanos, um avião comercial repleto de passageiros que explodiu em pleno voo, invasões mercenárias, múltiplos actos de violência e de força?”, questiona o líder cubano.

Fidel diz ter esperado uma “conduta correcta” de Barack Obama em Cuba, já que a “origem humilde” e a “inteligência natural” do Presidente norte-americano “são evidentes”. Porém, diz o líder cubano, Obama falhou em não mencionar os povos nativos das Américas ao ressaltar a história compartilhada de Cuba e EUA quanto à escravidão dos povos africanos, tragédia formadora dos dois países.

Fidel também chama a atenção para o papel da Revolução Cubana na mitigação do racismo na ilha, assim como o auxílio às lutas de independência de países africanos como Angola, Moçambique e Guiné-Bissau contra o “domínio colonial fascista de Portugal”.

“Que ninguém tenha a ilusão de que o povo deste nobre e abnegado país renunciará à glória e aos direitos, e à riqueza espiritual que ganhou com o desenvolvimento da educação, da ciência e da cultura”, escreve Fidel sobre os termos da reaproximação entre Cuba e EUA, anunciada em Dezembro de 2014 pelos governos dos dois países após 53 anos de ruptura.ANG/JA


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw