Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Sábado, 17 de Novembro de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Dia internacional contra minas/ Banki Moon apela mobilização de todos contra esse flagelo

2016-04-05

(ANG) -“A acção anti-minas é fundamental para uma resposta humanitária eficaz em situações de conflito e pós-conflito”.



A afirmacao é do Secretário-geral das Nações Unidas e foi feita no discurso por ocasião do dia internacional de “Sensibilização e Assistencia à Acçao Anti-minas”, que esta segunda-feira se assinalou.

De acordo a mensagem do Banki Moon tornada pública pela UNIOGBIS, à que a ANG teve acesso, este alto responsável internacional declara que em vários lugares do mundo, os conflitos estão a criar um novo legado de perigosos explosivos, como minas terrestres, munições de fragmentação e artefactos explosivos improvisados.

“ Estou particularmente preocupado com o uso de armas explosivas em áreas povoadas” lamenta Banki Moon para acrescentar que as Nações Unidas estão a trabalhar para aliviar o sofrimento das comunidades afectadas em ambientes de alto risco.

Nesta sua mensagem de apelo à luta contra as minas, o Secretário-geral da ONU falou, por exemplo, do sul do Sudão, em que mais de meio milhão de pessoas receberam formação sobre o risco ao longo dos últimos 12 meses e como resultados, 14 milhões de metros quadrados de terras contaminadas foram limpas, 3 mil kms de estradas tornadas seguras e 30 mil minas e resíduos explosivos de guerra destruídos.

Isto, segundo Banki Moon, permitiu a entrega de comida, água e a circulação segura das populações em fuga da guerra.

Também, o conflito da Síria não escapou as preocupações do Secretário-geral das Nações Unidas, no qual, segundo Banki Moon, em 2015, mais de dois milhões das pessoas receberam formação sobre o risco em escolas e comunidades, e mais de 5.400 receberam serviços de reabilitação física. E, ainda, desde agosto do ano passado, 14 toneladas de engenhos explosivos não detonados foram destruídos.

No entanto, alerta Moon que milhões de sírios continuam a enfrentar esta ameaça mortal a cada dia.

“Há uma necessidade urgente de um maior apoio, bem como o acesso pleno, sustentado e sem impedimentos para todas as acções de desminagem”, lê-se na mensagem.

Ainda, informou que a primeira Cimeira Humanitária mundial sobre as minas terá lugar em Istambul, Tuquia, no próximo mês que, será antecedido do seu relatório que destacará, “o impacto inaceitável de minas e resíduos explosivos de guerra contra civis”.

O Secretário-geral das Nações Unidas terminou a sua mensagem, apelando ao trabalho em conjunto, para alcançar o objectivo de um mundo livre da ameaça de minas e resíduos explosivos de guerra.ANG/QC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw