Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quinta, 15 de Novembro de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Media/África Ocidental/ Pelo menos 142 casos de violações da liberdade de expressão foram registados em 2015

2016-04-06

(ANG) – O Relatório sobre a Segurança dos Jornalistas na África Ocidental revela que pelo menos 142 casos de violação da liberdade de expressão foram registados nesta região em 2015, sendo que 90 por cento dos incidentes se relacionam a violações contra jornalistas e órgãos de comunicação social.



Segundo o relatório, as referidas violações à liberdade de imprensa foram predominantemente registadas sob formas de prisões, ataques, ameaças, suspensões e censuras.

O referido relatório foi apresentado recentemente pelo director executivo da Fundação da Media para a África Ocidental(MFWA), Soulemana Braimah num seminário de formação para 18 jornalistas seleccionados de sete países da África Ocidental ,em Gana.

“As violações registadas em 2015 representam um aumento de 40 por cento em relação ao 2014", disse acrescentando que a situação dos media na maioria dos "nossos" países ou continua na mesma ou tem piorado.

Segundo o director executivo da MFWA, a lista dos casos de violação de expressão nos países da África ocidental é liderada pela Nigéria com 34 casos, Níger 16 casos e na terceira posição está a Gâmbia com 15 casos.

A Guiné Conacri e o Senegal ambos registaram 11 incidentes. E a seguir vem o Gana, o Burkina Faso e a Costa do Marfim com 10 violações cada. O Benim (7), a Serra Leoa (6), o Togo (4), o Mali (3), a Guiné-Bissau (2), a Libéria (2) e a Mauritânia (1). Nenhum incidente foi registado em Cabo Verde.

Sulemana Braimah sublinhou que perante este cenário a questão da segurança dos jornalistas continua “muito importante”.

Exortou as autoridades a se engajarem na defesa e segurança dos jornalistas e dos órgãos de comunicação social da sub-região para possibilitar que estes tenham condições para desenvolver e implementar as suas actividades.

A formação centrou-se sobre temas como "reportagem em tempos de conflito" e "jornalismo de paz".

ANG/FGS/JAM/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw