Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Terça, 26 de Setembro de 2017
Todas as categorias
Economia
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Fórum Macau/ PR destaca papel do sector privado no processo de desenvolvimento do país

2016-04-11

(ANG) – O Presidente da República destacou no fim-de- semana que o sector privado é incontornável no processo de desenvolvimento de qualquer país, “porque não há emprego sem empresas e nem empresas sem empresários”.



Falando na cerimônia de abertura do 11º Encontro de Empresários da China e dos países de língua portuguesa, José Mario Vaz disse esperar que, no futuro, o fórum dependa do papel que será reservado ao sector privado e o tipo de Estado que se quer para os respectivos países.

Segundo o presidente da república, sem espaço para o sector privado não pode haver emprego, crescimento económico e desenvolvimento do país.

“A opção deve ser clara, entre a escolha de um Estado que faz tudo, isto é, que cobra impostos, regula a atividade econômica, investe, cria riqueza, actua como agente econômico activo, sendo ainda maior empregador, e um estado que se ocupa da sua vocacao tradicional de cobrador de imposto, de regulador e ciador de ambiente propício para o desenvolvivimento de negócios, deixando todo o resto para o sector privado”, referiu .

.O presidente da república sublinhou que a Guiné-Bissau é um país aberto, seguro e determinado a receber investimentos de empresários dos países membros do Fórum Macau. E acrescentou que o país se encontra, presentemente, no início de uma nova e decisiva étapa na sua caminhada rumo ao desenvolvimento.

Disse que não poupará esforços na luta pela consolidação da estabilidade política, garantia do regular funcionamento das instituições democráticas, reforço da transparência na gestão dos recursos públicos e na luta contra a corrupção.

Segundo o ministro da Economia e Finanças, Geraldo Martins, apesar da existência de ofertas abundantes, continuam por satisfazer o financiamento às empresas, sobretudo as Pequenas e Medias Empresas (PME) geradoras de emprego e promotores de crescimento inclusivo.

O ministro da Economia e Finanças afirmou que, por esta razão, o governo está a trabalhar para remover os obstáculos que dificultam o acesso do sector privado ao financiamento .

Sublinhou que o país precisa atrair empresas com capacidade técnica para estabelecer uma parceria estratégica duradoura e mutuamente benéfica.

Por sua vez, o Embaixador da República Popular da China no país disse a parte chinesa já está preparada não só em termos de vontade política, mas também de recursos financeiros, da tecnologia e de outras áreas indispensáveis para a dinamização da cooperação bilateral e multilateral com os países membros.

Huang Wah garantiu que os empresários chineses estão preparados para concretizar, em conjunto com o povo guineense, o projecto Mon na Lama, patrocinado pelo presidente da república através de uma combinação orgânica com o projecto do governo denominado “Terra Ranka” para garantir prosperidade ao povo guineense.

Segundo o Secretário-geral do Secretariado Permanente do Fórum Macau, Chang Hexi , Macau tem desempenhado um papel de ponte de ligação insubstituível entre os países membros aproveitando-se das suas condições favoráveis de negócio, sistema financeiro saudável, canais de informação eficientes bem como as suas vantagens especificas.

ANG/FGS/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw