Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quinta, 13 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Política/ "Presidente da República promete devolver poder ao PAIGC", afirma Domingos Simões Pereira

2016-05-13

(ANG) – O Presidente do Partido Africano Para a Independência da Guiné e Cabo-verde (PAIGC), afirmou que o chefe de Estado prometeu convidar os libertadores a formar o novo governo na qualidade da formacao que venceu as últimas eleições legislativas.



Domingos Simões Pereira falava hoje à saída do encontro de auscultação dos partidos políticos com assento parlamentar promovida pelo Presidente da República.

O líder do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo-Verde adiant ou que pediram a intervenção do chefe de Estado no sentido de esclarecer a situação de alguns membros do Governo que estariam a ser impedidos de entrar nos seus gabinetes de trabalho.

“Lembramos ao Chefe de Estado que a governação é continuidade e que a partir da demissão o Governo os seus titulares entram imediatamente em gestão e a não observância deste pressuposto constitucional estaríamos perante um atentado ao Estado de direito democrático", criticou.

Segundo ele, o Presidente da República prometeu informar-se melhor sobre o sucedido para depois tomar as medidas necessárias .

Por seu turno, o porta-voz do Partido da Renovação Social (PRS) disse que os renovadores como formação política responsável e democrático se encontra disponível para explorar com o partido vencedor das legislativas todas as possibilidades para a saída da crise.

Victor Pereira adiantou que esperam um governo que seja escolhido pelo PAIGC, salientando que quem tem a "faca e o queijo" na mão é o partido que ganhou as eleições, acrescentando que isso ficou claro no último discurso do Presidente José Mário Vaz e não cabe ao PRS essa iniciativa.

“O PRS alinha nas posições da saída da crise desde que estejam dentro das normas de ordem jurídica do país", disse acrescentando que há muito tempo a essa parte que o seu partido quer consenso e sempre pugnou para que a solução da crise fosse através de diálogo e não por via judicial.

O Presidente da República recebeu igualmente os Partidos da Convergência Democrática (PCD), Nova Democracia (PND) e a União para a Mudança (UM) com o mesmo objectivo.

ANG/MSC/JAM/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw