Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 17 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Demissão do governo/ President do PAIGC diz que respeita decisão do PR, mas lamenta razões invocadas

2016-05-13

(ANG) – O Presidente do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) afirmou quinta-feira a noite que o partido respeita a decisão do Presidente da República em demitir o governo liderado por Carlos Correia.



Domingos Simões Pereira que falava em reação a queda do governo do PAIGC, disse, no entanto, lamentar as razões invocadas por José Mário Vaz para demitir o executivo.

Em relação a indicação do nome ao cargo do Primeiro-ministro por parte do PAIGC, na qualidade de partido vencedor das últimas eleições legislativas, Simões Pereira garante que o farao brevemente, logo depois da reunião dos seus órgãos.

Entretanto, pediu à todos os actores políticos da Guiné-Bissau a assumirem as suas responsabilidades, com vista a resolução desta crise política.

Por outro lado, o Presidente do PAIGC condenou a alegada ordem da Procuradoria Geral da República, em proibir a partir de quinta-feira, a saida do país, do Primeiro-ministro demitido, Carlos Correia e oito membros do seu governo.

Por sua vez, o Porta-voz do Partido da Renovação Social assegurou a imprensa que a demissão do governo de Carlos Correia significa o fim da crise política no país.

Victor Pereira acrescentou que cabe agora ao PAIGC, enquanto formação política que ganhou o último escrutínio, formar novo executivo que garanta a estabilidade governativa.

Questionado se o PRS viabilizaria um novo governo do PAIGC, Victor Pereira afirmou que o seu partido apoia qualquer projecto de governação, desde que respeite as leis e a Constituiçao da República da Guiné-Bissau.

O Decreto Presidencial que demitiu quinta-feira o segundo governo do PAIGC da presente legislature, liderado por Carlos Correia invoca, entre outros motivos, a não aprovação do Programa do Governo e do Orçamento Geral do Estado, desde que entrou em funções em Outubro de 2015.

ANG/QC/JAM/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw