Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 10 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Crise política/ Comissão da Paz da ONU preocupada com impasse político guineense

2016-05-18

(ANG) - A Comissão de Consolidação da Paz das Nações Unidas disse estar novomente preocupada com a “contínua” crise política na Guiné-Bissau, que levou à paralisia institucional e à deficiências nos serviços sociais e económicos para a população.



A informação consta num comunicado à imprensa do UNIOGBIS, que cita a posição deste órgão do Conselho de Segurança das Nações Unidas sedeado nos Estados Unidos de América.

Ainda no documento, a Comissão de Consolidação da Paz da ONU afirma que o impasse político ameaça as expectativas da população guineense, bem como o otimismo e a dinâmica gerados, na sequência das últimas eleições de Abril de 2014.

“Além disso, os níveis de instabilidade alcançados na Guiné-Bissau só podem ser resolvidos através de uma clara demonstração de vontade política proporcional às aspirações da população, em prol da paz e do progresso”, acrescenta a ONU.

Por outro lado, as Nações Unidas afirma reconhecer o papel das forças de defesa e segurança da Guiné-Bissau, em particular na defesa da ordem constitucional e no respeito pelo Estado de Direito, distanciando-se da arena política.

A Comissão de Consolidação da Paz da ONU diz reconhecer o papel de prevenção e dissuasão da Missão Militar de apoio à estabilização da Guiné-Bissau, da CEDEAO (ECOMIB).

Por isso, chama a atenção aos membros da comunidade internacional sobre a necessidade urgente de mobilizar recursos e apoios políticos, técnicos e financeiros para garantir a extensão do mandato da ECOMIB além da data de expiração, 30 de Junho do presente ano.

Por fim, promete continuar “atenta e a acompanhar o povo e as autoridades da Guiné-Bissau na busca de uma solução consensual para a crise atual”.ANG/QC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw