Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quarta, 19 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Política/ Hélder Vaz abandona liderança da RGB - Movimento Bá-Fata

2015-07-28

(ANG) - O líder do partido Resistência da Guiné-Bissau (RGB - Movimento Bá-Fata), Hélder Vaz Lopes, anunciou segunda-Feira a sua demissão da liderança desta formação política.



Hélder Vaz que falava numa conferência de imprensa, no âmbito das celebrações do 29º aniversário da criação da RGB - Movimento Bá-Fata disse que deixará o partido para outros seus dirigentes continuarem com a caminhada dentro do quadro legal e da construção de um diálogo político.

Hélder Vaz Lopes disse no encontro com a imprensa que o seu partido é uma força com vontade “profunda e tremenda” para transformar a Guiné-Bissau num país novo. Acrescentou ainda que o país novo só se constrói com homens novos.

"A RGB - Movimento Bá-Fata representava uma ameaça para interesses instalados na Guiné-Bissau, sobretudo para os que comem tudo e deixam o povo sem nada. É neste particular que o partido constituía ameaça para os que praticam a injustiça de uma forma institucionalizada", vincou.

Hélder Vaz acrescentou igualmente que a Resistência da Guiné-Bissau era ameaça para aqueles que tiraram a escola ao povo guineense e para os que desfraldaram o futuro dos jovens.

"Era uma ameaça para os que colocam os seus parentes em tratamento nos exteriores e colocam a maioria dos guineenses a morrer nos hospitais do país como se fosse num matadouro de animais sem qualidade”, disse.

O líder do Movimento Ba-Fatá disse que os quarenta anos da governação do país acabaram com os valores morais da sociedade guineense.

Em relação ao desempenho do actua executivo chefiado por Domingos Simões Pereira, Hélder Vaz frisou que a carência de consistência técnica e política faz com que a governação conduza o país para o actual momento político que se regista.

"A actual situação política do país se parece com a caixa de pandora que no fundo é uma caixa vazia, uma caixa de sonhos e de ilusões”, disse.

O político afirmou que os guineenses não querem na política os vendedores de “banha de cobra”, mas sim gentes com visão, com mais estratégia e que sejam capazes de criar um quadro lógico para o desenvolvimento do país de uma forma coerente e sustentável.

"Hoje mais de que nunca vemos que a profissão de vendedor de sonhos é uma profissão de sucesso na Guiné-Bissau”, revelou o político.

O partido Resistência da Guiné-Bissau - Movimento Bá-Fata foi criado em 27 de Julho de 1986, em Lisboa (Portugal). Ocupou a posição da segunda força política mais votada do país nas eleições gerais de 1999, nas quais obteve 29 deputados no parlamento. Nas primeiras eleições multipartidárias de 1994, elegeu 21 deputados.

Nas últimas eleições gerais de 2014, sob a liderança de Hélder Vaz Lopes, a RGB - Movimento Bá-Fata não conseguiu eleger nenhum deputado .

ANG/ÂC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw