Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Sábado, 17 de Novembro de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Crise política/ Secretário-geral da ONU “profundamente preocupado” com a situação

2016-05-30

(ANG) - O Secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon disse estar “profundamente preocupado” com a situação política na Guiné-Bissau, após a decisão do Presidente da República, José Mário Vaz de nomear um novo primeiro-ministro ao cargo.



Em comunicado divulgado sexta-feira, 27 do corrente mês, à que a ANG teve hoje acesso, Ki-moon pede aos líderes políticos e seus simpatizantes para que reajam de maneira responsável.

O documento informa que, Ban Ki-moon recomendou diálogo e solicitou aos manifestantes que evitem actos de violência .

Ban Ki-moon reiterou que a crise política prolongada na Guiné-Bissau está a afectar o país e o bom funcionamento das instituições públicas, para além de minar os progressos e o desenvolvimento socioeconómico.

Por essa razão pela, o Secretário-geral das Nações Unidas apela aos líderes políticos a “acabarem com o impasse e a defenderem, de forma urgente, os interesses do povo da Guiné-Bissau com base na Constituição da República”.

O responsável da ONU concluiu a nota, elogiando o que chamou de “profissionalismo” das Forças Armadas nacionais no cumprimento dos deveres militares e pediu que continuem a agir de forma consciente.

Este posicionamento de Ban Ki-moon é divulgado horas depois de o Presidente da República guineense, José Mário Vaz ter dado posse a Baciro Djá como primeiro-ministro da Guiné-Bissau.

O comunicado refere que o executivo de Carlos Correia demitido continua a ocupar o Palácio do Governo “num acto de resistência democrática contra a ilegalidade do Presidente da República”.

O documento se refere ainda a existência de forças da Polícia Militar, da Guarda Nacional e da Polícia de Intervenção Rápida a manterem segurança no Palácio da República e no Palácio do Governo para evitar prováveis distúrbios. ANG/PFC/ÂC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw