Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quinta, 13 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Reforma na Administração Pública/ Baciro Djá apela continuidade de apoios dos EUA

2016-06-09

(ANG) – O Primeiro-ministro, Baciro Djá apelou quarta-feira ao governo dos Estados Unidos da América para continuar a apoiar a Guiné-Bissau nos esforços de reformas das instituições públicas, reforçando-as para os desafios do futuro.



Baciro Djá fez este anuncio durante a recepção concedida pelo Embaixador dos EUA no país, James Peter Zumwalt, no quadro da celebração dos 240 anos da independência os Estado Unidos da América.

O chefe do executivo apelou igualmente ao governo Norte-americano para que continue a prestar o seu apoio económico e financeiro ao país.

“Apesar da grave derrapagem constatada nas finanças públicas, como foi afirmado pelo Fundo Monetário Internacional, duran te o exercício do governo cessante, vimos confirmar o nosso total empenhamento em garantir a continuidade do Estado”, afirmou.

O novo Primeiro-ministro referiu que o país tem sido, nesta última década, assolado por convulsões políticas que afectaram negativamente a sua imagem e o seu desenvolvimento.

Disse que apesar dessa situação, as aspirações do pais à democracia e à boa governação são irreversíveis, visando sobretudo o combate à pobreza, impunidade, corrupção, o nepotismo, conflito de interesses e a promiscuidade entre negócios particulares e assuntos do estado.

Djá promete empenhar-se no combate ao tráfico de drogas, branqueamento de capitais e ao terrorismo.

Segundo Baciro Djá, será necessário o apoio da Comunidade Internacional, para que os objectivos como o combate ao desemprego jovem, a luta contra grades endemias e o reforço do sistema nacional da educação sejam realizados.

O chefe do executivo destacou que a sub-região não está imune ao extremismo violento e ao terrorismo, e citou os casos de Burkina Faso, Costa do Marfim, Norte do Mali que já foram alvos de extremismo islâmico, para justificar a necessidade de uma mobilização global para “se fazer face à esses fenómenos que entravam os esforços de desenvolvimento”.

Bciro Dja considerou “inaceitável num estado de direito democrático”, a ocupação indevida do Palácio do Governo por ex-membros do governo demitido em protesto a sua nomeação.

“Num estado de direito democrático, qualquer diferendo deve ser dirimido em sede própria ou seja nos tribunais”, disse.

ANG/FGS/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw