Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quarta, 14 de Novembro de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Internacional/ Polícia acusa britânico de querer matar Donald Trump num comício

2016-06-21

(ANG) - Um cidadão britânico de 20 anos foi acusado pela polícia norte-americana de ter tentado tirar a pistola a um agente com o objectivo de assassinar Donald Trump, o provável candidato do Partido Republicano à Casa Branca.



O caso aconteceu num comício na noite de sábado, em Las Vegas, mas foi tratado com alguma discrição no momento (a ideia era de que se tratava de um manifestante) e as acusações só foram conhecidas nas últimas horas.

Durante o comício, Michael Steven Sandford, de 20 anos, aproximou-se de um agente e tentou tirar-lhe a arma do coldre, mas foi imediatamente detido.

Interrogado pela polícia do estado do Nevada, Sandford terá dito que planeava assassinar Donald Trump há quase um ano, e que tinha reservado a sua presença num outro comício, também no sábado, se não conseguisse executar o seu plano em Las Vegas.

De acordo com a acusação, o jovem “tentou de forma consciente cometer um acto de violência física contra Donald J. Trump depois de tentar retirar uma arma a um agente do Departamento de Polícia de Las Vegas”.

O tribunal decidiu manter Michael Steven Sandford detido, considerando que representa um perigo público, e marcou uma audiência preliminar do julgamento para o dia 5 de Julho.

A tentativa de retirar a arma ao agente da polícia foi testemunhada por várias pessoas, mas a suspeita de que o britânico tinha a intenção de assassinar Donald Trump baseia-se apenas na versão que o próprio contou à polícia.

A sua advogada, nomeada pelo tribunal, disse que Sandford é autista e que já tentou cometer suicídio; a sua mãe disse que ele foi tratado por perturbação obsessivo-compulsiva e anorexia, e que fugiu de um hospital quando era mais jovem, em Inglaterra.

O britânico estava nos Estados Unidos há cerca de um ano e meio, vivia num carro e já estava em situação ilegal no país, depois de o seu visto ter expirado.

O jovem disse ainda à polícia que tinha treinado tiro com uma pistola Glock de 9mm numa academia chamada Battlefield Vegas, em Las Vegas, na sexta-feira da semana passada. Na acusação enviada ao tribunal, as autoridades dizem que um dos funcionários da academia confirmou que deu lições de tiro a Michael Steven Sandford.ANG/Publico


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw