Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Terça, 26 de Setembro de 2017
Todas as categorias
Sociedade
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Segurança/MASA/ Sindicato de base da empresa acusa direção de violar normas laborais

2016-06-21

(ANG) – O Sindicato de Base da empresa de segurança, MASA acusa a Direção da empresa de incumprimento das normas laborais em vigor no país.



Em declarações feitas hoje à ANG, o porta -voz do sindicato da referida empresa, Domingos Tamba justificou a sua acusação dando exemplo de casos de muitos funcionários que la trabalham, sem que, no entanto, tenham celebrado contrato.

Disse que a empresa MASA Segurança celebra os contratos sem que o interessado tenha acesso prévio ao manual, bem como das informações sobre os deveres e direitos.

O porta-voz do sindicato pediu o cumprimento da lei geral do trabalho, transparência no acto de assinatura de contrato laboral e a inscrição de todos os trabalhadores no Instituto Nacional de Segurança Social.

Afirmou ainda que as informações sobre os seus direitos e deveres só são transmitidas aos interessados durante o período de instrução de forma verbal, o que considera de anormal, porque é através desta forma que a direcção da empresa aplica as suas sanções disciplinares de forma “abusiva”, sem direito a defesa.

“Em 2010 a direção da empresa MASA Segurança deu-os um documento que mostra que alguns funcionários são inscritos no Instituto Nacional de Segurança Social, mas após a criação do sindicato de base, fomos aquela instituição para confirmar a inscrição e sabemos que nenhum funcionário foi inscrito nesta instituição por parte da empresa”, lamentou Domingos Tamba.

Disse que depois da criação e legalização do sindicato de base da MASA Seguranaça, enviamos a direcção uma carta informativa da existência da organização, que a partida defende os direitos dos funcionários, a direcção começou logo com retaliação sobretudo dos membros do sindicato.

Contudo, Domingos Tamba garante que a luta vai continuar até que a direcção da empresa começa a respeitar as regras laborais, sobretudo em termos de prestação de serviço que ultrapassa oito horas diárias.

“Os descontos das faltas a que somos sujeitos não correspondem com a nossa massa salarial, porque uma falta contraída por um trabalhador é descontada entre três mil há quatro mil francos CFA, isso é injusto, pois o salário mensal é de 50 mil”, criticou.

Domingos Tamba apelou aos funcionários desta empresa a inscreverem-se no sindicato e aos seus associados a manterem-se firme e confiantes de que vão trabalhar em defesa dos seus direitos.

Entretanto, ANG contactou a direção da empresa MaSa segurança mas este remeteu para mais tarde prestar declarações.ANG/LPG/AC/JAM


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw