Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quinta, 13 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Segurança/ Autoridades guineenses colocam agentes da Ordem Pública na residência de Zamora Induta

2015-07-30

(ANG) - O Conselho Nacional de Segurança, reunido em Sessão Especial na Quarta-Feira, anunciou em comunicado que vai colocar agentes de Segurança na residência do Contra Almirante, José Zamora Induta para garantir a sua integridade física.



O comunicado produzido no final de uma reunião presidida pelo Primeiro-ministro Domingos Simões Pereira refere que o regresso do ex. Chefe de Estado Maior General das Forças Armadas da Guiné-Bissau, foi um acto da sua livre iniciativa e pode ser visto como a plena reposição da normalidade politico constitucional e ao respeito pelos direitos dos cidadãos que o país regista actualmente.

A medida, segundo este órgão de consulta e coordenação em matéria de informação e segurança, visa evitar que “este e outros factos perturbem a tranquilidade de outras entidades e dos cidadãos em geral.

O Conselho Nacional de Segurança exortou a todos os órgãos de soberania' às instituições de Segurança e Ordem Pública e a sociedade em geral' no sentido de contribuírem para a consolidação da imagem positiva que o país está a construir.

Assegurou a comunidade nacional e internacional de que não existe nenhum sobressalto interno 'nem ameaças à segurança do Estado e que as autoridades reafirmam sua determinação em consolidar em definitivo a tranquilidade na Guiné-Bissau.

Induta regressou no passado dia 21 deste mês ao país oriundo de Portugal, onde se encontrava a residir na sequência do golpe de Estado militar de 2012, em Bissau.

O ex-chefe de Estado-maior general das forças armadas foi afastada das suas funções em Abril de 2010 pelo então vice-chefe de estado-maior general das forças armadas, Antonio Injai com base em alegadas ma orientação das estruturas miliatares, nomeadamente a concentração em si de varias funções executivas nas estruturas militares.

O documento tornado pulico apos o afastamento de Zamora Induta contem 23 acusaçöes, entre os quais de desvio de fundos de alimentação, detenteçao de vários oficiais superiores, tentativa de assassinio do próprio António Injai que lhe depôs e apropriação de uma certa quantidade de armamento guardados em sua residência, entre outras.

Um semanário nacional, “Donos da Bola”,na sua edição de 22 de Julho, reportou o seu regresso com o titulo “Zamora responder por 23 pecados”.

ANG/ÂC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw