Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quinta, 15 de Novembro de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


ONU/ Começa votação secreta dos candidatos a cargo de Secretario-Geral

2016-07-21

(ANG) - O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) realiza hoje a primeira de várias votações secretas para escolher o próximo secretário-geral da organização.



Durante a votação, cada um dos 15 membros do Conselho vai ser solicitado para indicar se “encoraja”, “desencoraja” ou “não tem opinião” sobre os candidatos. Os resultados não são tornados públicos, mas são transmitidos aos candidatos. É esperado que vários desistam da corrida devido à falta de apoios.

“Dependendo dos resultados desta primeira votação, pode ser realizada uma segunda antes do final do mês. Também são esperadas várias reuniões informais com os candidatos”, explica a organização.

Neste momento, existem 12 candidatos ao cargo, metade dos quais mulheres.

Destaca-se o antigo primeiro-ministro português que liderou a agência da ONU para os Refugiados, António Guterres, a ministra dos Negócios Estrangeiros da Argentina, Susana Malcorra, a antiga chefe do governo neozelandês e dirigente do Programa da ONU para o Desenvolvimento, Helen Clark, e a ex-ministra dos Negócios Estrangeiros búlgara e directora da UNESCO, Irina Bokova.

Esta é a primeira vez que a ONU abre as portas ao processo de selecção do novo secretário-geral, respondendo a pressões internas e externas para tornar o processo mais aberto ao escrutínio do público.

Na prática, o processo de escolha continua o mesmo: em reuniões à porta fechada, o Conselho de Segurança aprova um nome, tendo os cinco membros permanentes (Estados Unidos, Reino Unido, Rússia, França e China) direito a veto. Esse nome é depois submetido para aprovação à Assembleia-Geral.

Vários Estados e organizações não governamentais desejam que seja escolhida para o cargo, pela primeira vez, uma mulher. Também existem pressões para que o escolhido venha da Europa de Leste, região que nunca teve um secretário-geral.

ANG/JA


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw