Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Sábado, 17 de Novembro de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Internacional/ Pequim exibe arsenal militar de grande capacidade naval

2016-07-26

(ANG) - As Forças Armadas chinesas realizaram uma demonstração do novo arsenal naval e aéreo em parada e as imagens foram exibidas sexta-feira pela televisão estatal.



Especialistas militares, citados na imprensa internacional, disseram que as armas de última geração possuem uma grande capacidade combativa e oferecem aos efectivos boas possibilidades de manobras em movimentação defensiva.

O Governo de Pequim tomou medidas políticas e diplomáticas para controlar as ilhas desertas que reivindica, localizadas no designado Mar do Sul da China. A reportagem da televisão estatal chinesa não faz menção a qualquer possível ataque, nem a nenhum país, mas destaca a capacidade do arsenal.

Os Estados Unidos da América estão a aumentar a sua presença militar no Mar do Sul da China, mas o Governo de Pequim classifica a atitude dos EUA como uma provocação.

A televisão estatal chinesa mostrou tropas e armas do Comando do Sul, responsável pela região do Mar do Sul da China, durante a visita de oficiais superiores, incluindo o general Fan Changlong, vice-presidente da Comissão Militar Central, e o general Ma Xiaotian, comandante da Força Aérea, noticiou o jornal de Hong Kong “South China Morning Post”.

O general Fan Chanlong elevou o nível das tropas destacadas na região do Mar do Sul da China e pediu aos soldados para estarem preparados para qualquer contingência. “As patrulhas do mar e do espaço aéreo devem ser organizadas para lidar com todo o tipo de emergência e garantir a segurança do mar e da fronteira”, afirmou o comandante.

As armas, mostradas pela televisão, são de curto e médio alcance (até 1.500 quilómetros), confirmaram analistas, o que pode ser considerado como um elemento de advertência a possíveis agressores.

Um bombardeiro H-6K patrulha as ilhas no Mar do Sul da China, desde que a situação na região aumentou de tensão devido às posições políticas de países como o Japão e Filipinas. As tropas também estavam a carregar mísseis DF-16 de alcance até 1.000 quilómetros, o que é suficiente para atingir bases dos EUA em Okinawa.

Estes mísseis foram apresentados durante a última parada militar em Pequim dedicada ao fim da Segunda Guerra Mundial.

Nas imagens também foram mostrados bombardeiros H-6K e caças destinados à patrulha da região. O arsenal está entre os mais desejados do mundo por países que querem reformular as suas Forças Armadas. Segundo um especialista russo, O Governo de Pequim pode instalar um sistema anti-aéreo no Mar do Sul da China, para fazer face a uma possível ameaça.

A China, o Japão, o Vietname e as Filipinas têm desacordos sobre as fronteiras marítimas e zonas de influência no Mar do Sul da China e Mar da China Oriental.

Pequim considera que alguns deles, como as Filipinas e o Vietname, aproveitando o apoio dos EUA, fazem escalar a tensão na região.

As autoridades chinesas reprovaram a decisão do Tribunal Permanente de Arbitragem de Haia, com sede na Holanda, por “o mesmo não ter direitos históricos sobre os territórios em disputa no Mar do Sul da China”.

ANG/JA


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw