Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Sábado, 23 de Setembro de 2017
Todas as categorias
Infra-estruturas
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Casas sociais/ Governo prepara relançamento de projectos de construção de habitações sociais

2015-08-04

(ANG) - O Governo está a preparar um programa de construção de habitação social em parceria com a China, disse à Agência Lusa o ministro das Obras Públicas guineense, José António da Cruz Almeida. Segundo o governante o objectivo é atingir mil casas sociais.



Cruz Almeida garantiu ainda que o projecto prevê a urbanização para fins sociais com tipologias T2, T3 e T4 em terrenos situados em Bissalanca, junto ao aeroporto internacional de Bissau a noroeste da principal entrada da capital.

José António Almeida disse que as habitações poderão vir a albergar os actuais residentes nos bairros de Reno e Mindará, na capital, os quais o Governo pretende demolir para se entregar à iniciativa imobiliária e começar a construir novos quarteirões de Bissau.

"Um levantamento está em curso para atribuir habitações em função de cada agregado familiar", acrescentou José António Almeida.

Declarou que têm um grande défice de habitação com estimativas a apontar para a necessidade imediata de 4.000 casas em todo o país.

O sector imobiliário é apontado como "uma área chave" para o relançamento da actividade económica e desenvolvimento do país. Uma outra parceria está a ser estabelecida com promotores imobiliários de Marrocos .

Através dessa parceria, está prevista, numa primeira fase, a construção de edifícios que podem ter até quatro andares e vivendas para habitação numa área de cinco hectares, também na zona de Bissalanca, podendo a área crescer conforme a procura.

"Já limpámos o terreno e começámos a fazer expropriações", referiu o governante.

Apesar de se tratar de "iniciativa privada", frisou o ministro, o Estado cede os terrenos sob condição de a habitação ser vendida a baixo custo.

A parceria com os promotores marroquinos poderá depois avançar para outras localidade do país, "como Bolama, Bafatá, Gabu e talvez Buba", concluiu.

ANG/lusa


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw