Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Sábado, 25 de Novembro de 2017
Todas as categorias
Tecnologia
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Autosuficiência Alimentar/ Guiné-Bissau vai produzir tractor com apoio da China

2016-08-02

(ANG) – A Guiné-Bissau poderá iniciar em breve a producao local de tractores e outros materiais agricolas, admitiu sexta-feira última, o Embaixador da República Popular da China, em Bissau.



Wang Hua que falava na cerimónia de entrega ao governo guineense de um lote de materias destinados à producão de arroz no país, anunciou a vinda, para breve, de tecnicos da China para pôr em marcha o referido projecto.

O donativo é constituido de máquinas agricolas, entre as quais um número indeterminado de tractores, sementes, fertilizantes entre outros. Na ocasião, o diplomata chinês afirmou que, de agora em diante, estão criadas as condicões para a concretização do projecto de producao sustentável de arroz, preconizado pelo Presidente, José Mário Vaz, para tornar o pais auto-suficiente.

Wang Hua frisou que a Guiné-Bissau possui recursos naturais como água em abundância, solos arráveis, um bom clima e, sobretudo, camponeses determinados a produzir o suficiente para abastecer o mercado e exportar . Disse acreditar que, dentro de pouco tempo, a Guine-Bissau vai tornar-se num país muito especial, porque vai contribuir no abastecimento de cereais para os restantes paises do continente africano e do mundo.

Wang Hua lembrou que o seu pais sempre ajudou a Guine-Bissau no domínio agrícola e recordou os mais de 1.300 toneladas de arroz que, em 2013, a Republica Popular da China ofereceu ao pais.

Em resposta, o Presidente da Guine-Bissau agradeceu o gesto do povo da China pela oferta que chamou de fruto de uma boa cooperação e amizade entre os dois países.

Jose Mário Vaz prometeu que o executivo guineense vai fazer bom uso do donativo e acrescentou que os mesmos serào afectados directamente aos agricultores guineenses nos seus campos de cultivo.

"Em boa hora a República Popular da China e o seu embaixador aqui ouviu o nosso desafio de produzir os 80 mil toneladas de arroz que anualmente o pais importa para suprir as suas necessidades", disse o chefe de Estado guineense.

A concluir lembrou que a transformação e diversificação da agricultura constitui hoje um imperativo nacional e que passa necessariamente pela mecanização gradual da cadeia de produção e comercialização dos produtos na Guiné-Bissau.ANG/JAM/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw