Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 25 de Setembro de 2017
Todas as categorias
Saúde
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Medicina Tradicional/ Governo disposto a apoiar ações de pesquisas nesse campo

2016-09-01

(ANG) – A Secretária de Estado da Gestão Hospitalar reiterou hoje a vontade do governo de apoiar as pesquisas no campo da medicina tradicional no país.



Maria Inácia Gomes Có fez esta declaração durante a cerimônia de comemoração do dia africano da medicina tradicional sob o lema “Regulamentar os produtos da Medicina Tradicional em África”.

Inácia Có afirmou que a Guiné-Bissau possui um mosaico de plantas medicinais que constituem alternativas em relação a convencional.

“Sugeria uma maior transversalidade na abordagem da medicina tradicional assim como uma maior interação entre os terapeutas nacionais e os parceiros ”, disse a governante.

Esta responsável disse ainda que devido a sua importância e seu baixo custo, a medicina a base de raízes naturais necessita de um desenvolvimento de ações concretas com vista a melhoria do seu enquadramento jurídico, no sentido de estimular a sua produção em medicamentos tradicionais.

Por sua vez, o representante da Organização Mundial da Saúde no país, Ayigan Kossi salientou que é necessário e fundamental a reorganização da prática da medicina tradicional, para que desempenha, com eficácia, o seu papel em articulação com a medicina convencional”

O representante da OMS prometeu o apoio da sua organização ao ministério da Saúde Pública na elaboração de políticas e planos estratégicos que permitam regulamentar os produtos e orientar a prática da medicina tradicional no país.

Para o presidente da ong Promotora da Medicina Tradicional (PROMETRA), Idrissa Biai, a aplicação efectiva deste ramo medicinal está aquém do desejado no pais, “porque a Guiné-Bissau, até este momento, não dispõe de um quadro legal para a sua aplicabilidade.

No entanto, exortou ao governo no sentido de integrar aspectos da medicina tradicional no currículo escolar.

ANG/FGS/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw