Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Terça, 26 de Setembro de 2017
Todas as categorias
Sociedade
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Mercado/ Consumidores apelam intervenção do governo para redução dos preços dos produtos

2016-10-05

(ANG) – Os consumidores guineenses, apelam ao governo para intervir no sentido que por cobro a especulação de preços de produtos da primeira necessidade nos mercados do país.



Numa auscultação feita pela Agência de Notícias da Guiné (ANG), a estudante Artemisa Dias classificou de “exagerada” a atitude dos comerciantes que nos últimos tempos tem adoptado “ preços absurdos” para os produtos.

Por exemplo, um quilograma do peixe que anteriormente custava mil francos CFA, sofreu um aumento de quinhentos FCA e passa, assim a custar 1.500 fcfa.

De acordo com Artemisa, para além do disparo do preço de peixe, é notado também a falta de outros produtos, entre os quais, limão que neste preciso momento constitui a maior preocupação dos comerciantes, assim como de consumidores.

Artemisa Dias acrescentou que o governo deve evidenciar esforços para regularizar a situação, com a finalidade de fazer com que sejam praticados preços razoáveis.

Por sua vez, Carla Maria Cabral do Rosário, funcionaria público inconformada com a situação, considera que atualmente no país, as pessoas sem posse alimentam-se mal.

“As espécies de pescado como “bagre”, tido como de segunda qualidade, que antes custavam até 750fcfa, agora atingiram os 1000 fcfa”, disse Carla Rosário.

Segundo esta funcionária, os guineenses não dispõem de condições financeiras para alimentar-se de peixe de primeira qualidade a não ser das peças de frangos congelados.

Uma das vendedeiras de peixe, Beti Ié, justificou que o aumento do preço no mercado se deve ao aumento do preço junto de pescadores.

“Antes adquiríamos o peixe por mil francos o quilograma, mas agora o preço subiu para 1750 fcfa”, disse, acrescentando que esse preço somado ao pagamento de transporte, taxas do mercado, entre outras despesas fazem aumentar o preço final no mercado.

Nosolino Quintino Gomes, vendedor de carne no Mercado Central, disse que a falta de carne no mercado, tem a ver com as dificuldades de aquisição de gado bovino no mercado.

“Durante o período da campanha da castanha de caju regista-se fraca comercialização de gados, o que motiva o aumento de carne no mercado. Actualmente compramos a carne ao preço elevado por isso, para ganharmos alguma coisa, somos obrigados a vender ao preço que praticamos”, justificou o comerciante.

ANG/LLA/JD/JAM/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw