Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quinta, 13 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Crise política/ Presidente da República e signatários do acordo da CEDEAO deslocam-se à Conacry

2016-10-07

(ANG) - O Presidente da República, José Mário Vaz deslocou esta sexta-feira para a Guiné-Conacri onde terá início uma nova fase de negociações para a implementação do acordo da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental(CEDEAO) para o fim da crise no país.



Alpha Condé, presidente da Guiné-Conacri, na qualidade de mediador da crise guineense indigitado pela organização sub-regional, deverá receber, em Conacri, todos os signatários do documento, informou à Rádio Jovem uma fonte diplomática junto da CEDEAO.

A deslocação do Chefe de Estado, acontece numa altura que O PAIGC, partido mais votado nas eleições em 2014, mantém a sua posição de ser ele a chefiar o Governo inclusivo, previsto no acordo assinado entre os partidos políticos com a mediação da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO).

Domingos Simões Pereira, presidente do partido, diz que esta responsabilidade é constitucional e não pode ser retirada, enquanto formação política vencedora das últimas eleições legislativas.

Domingos Simões Pereira sustenta o seu argumento afirmando que a Constituição “divide a decisão de quem, em nome do Estado, é o primeiro magistrado, neste caso o Presidente da Republica, e quem é que, por maioria no parlamento, tem o direito exclusivo de governar, uma competência que o povo outorgou ao partido maioritário depois das eleições.

Para o PRS, o segundo partido mais votado, este argumento não colhe.

Florentino Mendes Pereira, secretário-geral dos renovadores “o acordo da CEDEAO, foi rubricado pelo primeiro-ministro, Baciro Dja, enquanto o Chefe do Governo, o Supremo Tribunal de Justiça disse que existe um Governo e este Governo é constitucional, se há todos estes instrumentos, quem pode pôr em causa este Governo?”

Na quarta-feira, José Mário Vaz esteve reunido com o primeiro-ministro, Baciro Djá, e o presidente do Parlamento, Cipriano Cassamá.

Cassamá disse ter entregue a José Mário Vaz a proposta de uma figura para chefiar o futuro Governo de inclusão, mas não revelou o nome. ANG/Rádio Jovem


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw