Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Sexta, 16 de Novembro de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


CPLP/ Reafirmação do papel da organização marca mandato de Murargy

2016-10-28

(ANG) – O secretário-executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) destacou o balanço e reflexão sobre o futuro e a reafirmação do papel da organização na Guiné-Bissau como os principais traços do seu mandato, que termina em Dezembro.



Em vésperas da cimeira da CPLP, onde deverá ser designada a sua sucessora - a são-tomense Maria do Carmo Silveira -, Murade Murargy lamentou que, nos quatro anos em que liderou o secretariado-executivo da organização, não tenha conseguido avanços mais concretos na promoção da mobilidade dos cidadãos lusófonos nos nove países da organização.

“É uma grande angústia que eu levo”, disse, em entrevista à Lusa.

O secretário-executivo ressalvou que já há acordos bilaterais para facilitar a circulação, mas essa ainda não é uma realidade entre os nove países do bloco lusófono.

“Nem todos os países têm passaporte electrónico, há países que têm um certo receio de terem as suas soberanias violadas ou que ainda se debatem com problemas de segurança interna”, justificou.

O secretário-executivo garante que se empenhou “bastante” neste tema e afirma esperar que “não se chegue aos 30 anos da CPLP a falar do mesmo problema, sem que se tenha encontrado uma saída”.

Em jeito de balanço dos últimos quatro anos, Murade Murargy considerou que “o barco CPLP não afundou, está a navegar, firme e com um horizonte bem definido”, apesar de “tempestades que vieram no meio da navegação”.

O diplomata moçambicano descreveu que a sua primeira medida foi “recolocar a CPLP no seu caminho em relação à Guiné-Bissau”, dialogando com todos os atores políticos guineenses.

O país estava em crise, devido ao golpe de Estado, mas não havia sintonia entre os Estados-membros sobre como agir.

“Quando uma família está com problemas, o resto dos membros não fica de braços cruzados, mas era o que estávamos a fazer”, afirmou.

O mandato foi, principalmente, marcado por uma reflexão sobre os três pilares da CPLP: a concertação político-diplomática, a língua e a cooperação.

Se quanto ao primeiro ponto, Murade Murargy considerou que “está consolidado”, já quanto à língua portuguesa, defendeu era necessário avançar.

“Era uma questão do passado, a língua da colonização. Era preciso transformar a língua, entrar para o diálogo dos negócios, do comércio, do investimento”, sustentou.

Quanto à cooperação, Murargy afirmou que os projectos são ainda de pequena dimensão, mas que “têm impacto junto dos cidadãos”, exemplificando os projectos na energia, trabalho infantil, género, educação das crianças de rua ou contacto com escolas.

O secretário-executivo assinalou a necessidade de “procurar outras fontes de financiamento, além dos Estados”, nomeadamente o Banco Africano, o Banco Mundial ou a União Europeia, para garantir “capacidade para se realizarem projectos multilaterais”.

Uma reflexão que pretendeu preparar a nova visão estratégica, que propõe o rumo da organização, que celebra 20 anos, na próxima década. A proposta deverá ser aprovada na XI conferência de chefes de Estado e de Governo da CPLP, que decorre nos dias 31 de Outubro e 01 de Novembro em Brasília, Brasil.

Com o mandato a terminar no final deste ano, Murade Murargy considerou que tem a “missão cumprida” e garante que a CPLP é “uma organização com futuro”, mas deixou um alerta: para tal, é preciso que a “vontade política seja reafirmada” e que todos os países se “empenhem numa agenda única”.

“Se houver uma única agenda, não haverá desinteresse da CPLP”, assinalou.

ANG/Lusa


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw