Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Terça, 21 de Novembro de 2017
Todas as categorias
Sociedade
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Nhoma/ Freiras abandonam Missão Catílica depois de receberem ameaças de morte

2016-11-07

(ANG) - As freiras franciscanas da missão católica de Nhoma, norte da Guiné-Bissau, foram retiradas da localidade depois de receberem ameaças de morte e de serem intimidadas, disse quinta-feira à Lusa fonte da Igreja Católica.



O bispo, josé Camnate Na Bissign, deu ordens às freiras - três mexicanas e três aspirantes guineenses - para abandonarem Nhoma e seguirem para a capital guineense ainda na quinta-feira, onde vão aguardar por outras diligências, referiu a mesma fonte.

A saída levará ao fecho do jardim-de-infância e algumas escolas, deixando cerca de 900 alunos sem aulas, bem como do único centro de saúde de Nhoma, acrescentou.

As freiras franciscanas chegaram à povoação em 2014 e nos últimos dias têm vindo a ser alvo de ameaças e de atos de intimidação por parte de desconhecidos.

Presume-se que sejam "pessoas descontentes com medidas" relativas à "gestão de dinheiro que algumas famílias carenciadas recebem de Itália para criarem os filhos", disse à Lusa fonte da igreja em Bissau.

As freiras comunicaram às famílias que o dinheiro que recebem de caridade passa a ser gerido diretamente pela missão católica, em vez de ser entregue aos pais das crianças, como acontecia, explicou a mesma fonte.

Nos últimos dias, as instalações da missão foram atacadas, os carros vandalizados e na segunda-feira as freiras receberam uma carta anónima na qual são ameaçadas de morte se não abandonarem a localidade no prazo 30 dias.

Mena Tchuda, professor no único liceu de Nhoma, construído pela missão católica, indicou que hoje não houve aulas em sinal de solidariedade.

"As irmãs coordenam as escolas em Nhoma, do jardim-de-infância ao liceu, e se estão a ser ameaçadas nós não podemos ficar indiferentes. Por isso decidimos fechar as escolas hoje", referiu.

São cerca de 900 alunos que frequentam as escolas apoiadas pelas freiras franciscanas da congregação da Imaculada Conceição que também prestam auxílio à população nas áreas da saúde e desporto.

ANG/Lusa


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw