Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quarta, 12 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


APU-PDGB espera que haja eleições na data prevista - 2017

2015-04-28

O Secretário-geral da Aliança Popular Unida-Partido Democrático da Guiné-Bissau(APU-PDGB) disse que seria bom que, de uma vez por todas, fosse possível a realização das eleições autárquicas para poder completar o ciclo democrático no país.



Juliano Augusto Fernandes falava hoje em entrevista exclusiva à ANG, a propósito do anuncio feito recentemente pelo Secretário de Estado da Administração Territorial, segundo o qual as eleições autárquicas terão lugar em 2017, na Guiné-Bissau.

O responsável da APU-PDGB sustentou que a democracia parlamentar guineense já leva 20 anos de existência e, que infelizmente no país não foi possível a realização das autarquias até a data presente.

“ As eleições autárquicas são absolutamente fundamentais para a consolidação do nosso processo democrático e sobretudo para a criação de condições para o desenvolvimento local “ disse.

Questionado se o seu partido vai concorrer nas eleições autónomas marcadas para 2017, o Secretário-geral da APU-PDGB disse que sim, porque “o objectivo de qualquer partido político é lutar para chegar ao poder e governar”.

“ É evidente que estamos a falar de uma luta política num quadro e num pano de fundo democrático temos estas eleições como objectivo, o que podemos talvez não vir a conseguir, mas nem por isso deixaremos, ainda que na oposição, de dar a nossa contribuição para que neste país sejam adoptadas as melhores políticas que visam resolver os problemas das nossas populações “ disse, Fernandes.

Perguntado se até a data das autarquias o partido vai estar pronto para fazer face as outras formações políticas já com bases firmes, como são os casos do PRS e PAIGC, juliano Fernandes disse que o APU-PDGB é um bebé que já nasceu grande.

“ Somos o filho mais novo da mãe democracia guineense acabados de nascer, cerca de quatro meses ou menos e legalizados pouco mais de dois, mas, apesar de tudo isso, nós nascemos grandes e contamos com uma adesão espectacular de guineenses, um partido grande com enormes responsabilidades no país” disse.

Juliano Fernandes reconheceu que fazer face aos partidos já existentes não será uma tarefa fácil.

“Estamos determinados e empenhados porque sentimos que temos grande responsabilidade e não queremos de alguma forma frustrar a confiança que em nós é depositada por uma certa franja da nossa sociedade “ explicou. ANG /MSC/JAM/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw