Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quinta, 13 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Crise política/ Presidente da República demite Governo de Domingos Simões Pereira

2015-08-13

(ANG) - O Presidente da República, José Mário Vaz, demitiu na noite de quarta-feira, dia 12 do corrente mês, o Governo liderado por Domingos Simões Pereira, através de um Decreto presidencial divulgado às 23,10 horas na Rádio Difusão Nacional.



A decisão foi divulgada pela emissora pública da Guiné-Bissau cerca de três horas depois de o chefe de Estado José Mário Vaz ter feito um discurso à nação, no qual referiu que uma remodelação governamental não chegava para resolver a crise política no país.

Na apresentação da sua mensagem à Nação durante cerca de 40 minutos, perante jornalistas no Palácio da República, pelas 20 horas, o chefe de Estado não revelara se ia ou não destituir o Governo.

José Mário Vaz começou por dizer que o país volta a viver momentos dramáticos, marcados por uma grave crise politica e institucional.

Afirmou que alguns titulares de órgãos da soberania perderam a serenidade e o discernimento indispensáveis a uma sã convivência interinstitucional.

O Chefe de Estado afirmou que uma remodelação governamental não chegava para resolver a crise política no país.

"Mesmo que todos os membros do Governo fossem substituídos, ainda assim, a grave crise política que põe em causa o regular funcionamento das instituições não seria provavelmente ultrapassada, na medida em que a questão substantiva é a quebra mútua da relação de confiança com o próprio Primeiro-Ministro", frisou José Mário Vaz.

O Presidente da República salientou que o resultado eleitoral do PAIGC, é somatório do esforço de todos os seus simpatizantes, militantes e dirigentes desta formação politica.

Referiu que a vitória nas eleições se deve à força do partido, à dedicação e empenho pessoal de cada um dos deputados nos respectivos círculos.

"A vitoria é do PAIGC e é a este que pertence o direito de governar e não podendo esse direito ser pessoalizado ou privatizado por um grupo de interesses instalado no seio do partido, ao ponto de ameaçar a paz social e fazendo-o a mergulhar num caos e conduzi-lo a uma guerra civil, caso as instituições do Estado não se declinarem perante a pessoa do Primeiro-Ministro", explicou o Presidente da República.

A demissão do governo surge apos um ano de exercício do executivo liderado por Domingos Simões Pereira, igualmente presidente do PAIGC, vencedor das últimas legislativas.

ANG/ÂC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw