Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 17 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Auscultações presidenciais/ “Chefe de Estado recusa identificar futuro Primeiro-ministro”,diz Carlos Correia

2016-11-16

(ANG) – O primeiro vice-presidente do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde(PAIGC), Carlos Correia, disse que José Mário Vaz não aceitou informar ao partido o nome da figura que irá nomear Primeiro-ministro do país.



Carlos Correia proferiu estas afirmações a saída do encontro com o Presidente da República, realizada no das auscultações que Mario Vaz realiza sobre a figura que devera ser nomeado novo Primeiro-ministro.

"Não viemos aqui ouvir que vai nomear um novo primeiro-ministro. É óbvio que se demitir Baciro Djá terá que nomear um novo chefe de governo. O que queremos saber é quem é que vai nomear", disse o antigo primeiro-ministro, a saída do encontro de auscutação com o chefe de Estado.

Segundo Carlos Correia, o Presidente informou apenas que, com base no acordo de Conacri, irá nomear um dos três nomes propostos.

“ Se José Mário Vaz retirar uma vírgula ao que ficou estabelecido em Conacri, o acordo é nulo”,advertiu.

Por seu lado, O Partido da Renovação Social reafirma a sua posição de apoiar a nomeação de qualquer das três figuras indicadas pelo Presidente da República para primeiro-ministro, disse Vítor Pereira, porta-voz do partido e ministro da Comunicação Social do governo demitido.

"O PRS enquanto subscritor do acordo de Conacri vai honrar esse compromisso assinado e espera que as partes façam o mesmo. Mas, reafirmamos que não houve nenhum consenso sobre a figura de Augusto Olivais", afirmou Vítor Pereira.

O Presidente do Partido da Convergência Democrática (PCD),disse estranhar o não pronunciamento até agora do nome de consenso encontrado em Conacri , tendo exortado ao Chefe de Estado a por em prática os resultados dos Acordos de Bissau e Conacri, o mais rápido possível.

Vicente Fernandes disse que a escolha que não recai sobre Augusto Olivais , será de inteira mesponsabilidade do Presidente da República.

Considerou que não deve haver uma escolha por amizade ou outras razões que não sejam do interesse nacional.

Iaia Djalo líder do partido da Nova Democracia (PND), disse igualmente que não foram informados do nome do novo Primeiro-ministro pelo Presidente da República , frisando que, contudo, vão acompahar o Chefe de Estado na sua decisão final , tendo afirmado que vai-se procurar o consenso dentro da configuração parlamentar.

Para o Presidente da União para a Mudança Agnelo Regala, o presidente José Mário Vaz mais uma vez, não apresentou o nome da pessoa que vai nomear em concreto, mas sim da possiblidade desse nome surgir entre os três propostos no Acordo de Conacri.

“Nós, União para a Mudança pedimos o respeito integral do Acordo de Conacri e o nome que foi obtido como consenso deve ser indigitado para o cargo do Primeiro-minitro, caso contrário, vamos ver quais serão as consequências ou seja se estariamos a sair de uma crise e entrar na outra talvez muito mais agravada do que aquela que temos vivido até hoje”disse Regala.

O Chefe de estado demitiu terça-feira o governo liderado por Baciro Djá e ouviu agora os partidos com assento parlamentar com vista a nomeacao de novo Primeiro-ministro.

São candidatos ao cargo, três nomes a saber- Umaro Cissoco, pessoa próxima ao presidente Mario Vaz, Augusto Olivais, dirigente do PAIGC e Alaje João Mamadu Fadia, independente e actual Director Nacional do Banco Central dos Estados da África Ocidental-BECEAO.

ANG/MSC/ÂC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw