Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 25 de Setembro de 2017
Todas as categorias
Saúde
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Governo acusa Empresa “Santy Comercial” de atentar contra saúde pública

2016-11-22

(ANG) – O Director do Serviço de Saúde Ambiente e higiene Publica confirmou recentemente que os fluidos expelidos da fábrica da empresa “Santy Comercial” estariam a contaminar o meio ambiente e, consequentemente, a saúde da população, sobretudo os moradores do bairros arredores, Belém e de Cuntum.



Em declarações ao “No Pintcha”, Paulo António Monteiro disse que os residios líquidos despejados pela empresa nas valetas dois bairros, exalam cheiro pútrido, o qual poe em perigo a saúde de inúmeras famílias, principalmente as crianças que são a camada mais vulnerável.

Segundo o Director do Serviço de Saúde Ambiente e Higiene Publica, a maior parte dos fluidos e resíduos concentram-se numa zona que dá acesso as bolanhas onde se pesca e se cultiva arroz, pondo assim em risco a vida animal e a saúde dos.

Perante esta situação, Paulo Monteiro disse que já entregou um relatório resultante da inspecção feita pelos técnicos da saúde ao Conselho de Ministros, com todas informações sobre os ricos que a fábrica esta a causar pelo que se exige medidas urgentes.

As acusações do Ministerio da Saude são fortemente corroboradas pelos moradores dos dois bairros. Por exemplo Mário Wagna Na Bghanha, residente em Cuntum disse que o cheiro repugnante começou logo apos o início dos trabalhos da Empresa Comercial Santy.

“Resido há 25 anos neste bairro e nunca se sentiu cheiros iguais aos dos últimos tempos. As autoridades deviam assumir suas responsabilidades em relação ao odor causado pela Empresa Santy Comercial”, reclamou o citadino Mario Bghanha.

Reagindo a essas acusações, o Administrador da Empresa Santy Comercial informou que na abertura dos trabalhos a empresa foi submetida várias análises prévias das águas e nenhum risco à saúde humana ficou aprovado.

Segundo informou Santiago Hanna Mendoza, em marco passado, técnicos de saúde visitaram as instalações da empresa e no final criaram uma comissão que inclui os ministério da saúde, da Industria e do Comercio, que recolheu as águas da Comercial Santy, da empresa Lenox e da fábrica provisoria de tingir panos para uma análise em Ziguinchor, cujo resultado ainda eh aguarda.

“A empresa não se preocupa apenas em obter lucros, mas também com a saúde e o bem-estar da população. Por isso tem vindo a remover lixos nas valetas arredores da fábrica”, fez notar o admkinistrador.

ANG/No Pintcha


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw