Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quinta, 13 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Demissão do governo/ PAIGC não concorda com decisão do Presidente Mário Vaz

2015-08-13

(ANG) - O demitido Primeiro-ministro da Guiné-Bissau e Presidente do PAIGC disse compreender a decisão do Presidente da República de o demitir mas que não concorda com os motivos apresentados para o efeito.



Domingos Simões Pereira reagia assim a sua demissão num encontro na sede do partido com militantes e simpatizantes do PAIGC.

Disse que os presentes devem ter o orgulho de serem militantes do PAIGC e que as orientações sobre o futuro do povo está nas mãos daquele partido.

“Devemos ser capaz de tranquilizar o nosso povo e os garantir que vamos ser capazes de cuidar da sua tranquilidade, para que possamos ser capazes de construir o amanhã como prometemos “disse.

O presidente dos libertadores lamentou o facto de o Presidente da República destituir o governo eleito do PAIGC, o mesmo partido que patrocinou a sua candidatura e campanha e que acabaram com a sua eleição para as funções de chefe de estado.

Domingos Simões Pereira disse que vai ser difícil pedir que as pessoas estejam de acordo com a decisão do Presidente da República.

Afirmou que um ano de governação foi muito difícil, e que foi um ano em que se descobriu que havia muita diferença entre as partes.

“Estava convencido de que apesar das nossas diferenças de ponto de vista, e enquanto homens de estado íamos ser capazes de respeitar mutuamente as regras do jogo e colocar a Guiné-Bissau em primeiro lugar. “Contudo, visivelmente na interpretação do Presidente da República isso não foi possível,“ lamentou Domingos Simões Pereira.

O chefe do governo deposto garantiu que vai continuar os seus mecanismos para alertar ao Presidente da República sobre a razão e a necessidade de preservar o essencial, na base do diálogo e entendimento.

ANG/MSC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw