Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quinta, 15 de Novembro de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Saúde pública/ OMS incentiva reforço de difusão dos auto-testes de HIV

2016-12-01

(ANG) – A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou terça-feira novas directrizes sobre o auto-teste de HIV para melhorar o acesso e a aceitação do diagnóstico da doença.



A falta do diagnóstico, segundo um documento publicado no site da organização, no âmbito da comemoração do Dia Mundial de Luta Contra Sida, que se assinala hoje, é um dos principais obstáculos para implementar a recomendação da OMS segundo as quais a terapia anti-retroviral deve ser oferecida para todas as pessoas que vivem com HIV.

O documento indica que mais de 18 milhões de pessoas com HIV estão recebendo terapia anti-retroviral actualmente e que um número semelhante está impossibilitado de ter acesso ao tratamento e a maioria sem conhecimento de seu estado seropositivo.

Actualmente, revela a OMS, 40 por cento de todas as pessoas vivendo com HIV (cerca de 14 milhões) permanecem sem saber que estão infectadas e muitas têm um maior risco de infecção e dificuldade no acesso aos serviços de teste existentes.

“Milhões de pessoas com HIV perdem o tratamento que pode salvar vidas e prevenir a transmissão a outros indivíduos”, disse a directora-geral da OMS, Margaret Chan, para quem “o auto-teste para HIV deve abrir a porta para que mais pessoas saibam de seu estado seropositivo e descubram como obter tratamento e acesso aos serviços de prevenção”.

Com o auto-teste para HIV, pode-se usar fluidos orais ou gotas de sangue para detectar o vírus num ambiente privado e conveniente, e os resultados estarão prontos em 20 minutos.

Segundo a agência da ONU, esse tipo de teste visa alcançar pessoas não diagnosticadas, sendo particularmente importante para aquelas que enfrentam barreiras de acesso aos serviços existentes.

Entre 2005 e 2015, a proporção de pessoas que vivem com HIV e que tomaram conhecimento através do diagnóstico cresceu de 12 por cento para 60 por cento globalmente. Esse aumento resultou em mais de 80 por cento de pessoas diagnosticadas recebendo a terapia anti-retroviral.

No entanto, a cobertura de teste para o HIV permanece baixa entre diversos grupos populacionais, sendo que a cobertura global, prevenção e tratamento são menores entre os homens do que entre as mulheres.

Entretanto, meninas adolescentes e mulheres jovens na África Oriental e Austral têm índices de infecção até oito vezes maiores que os homens.

Apenas uma em cada cinco mulheres (15 a 19 anos de idade) está ciente do seu estado seropositivo.

O sistema de teste permanece, ainda, baixa entre populações-chave e seus parceiros, particularmente homens que fazem sexo com homens, profissionais do sexo, pessoas transgénicos, usuários de drogas injectáveis e pessoas privadas de liberdade.

Cerca de 70 por cento dos parceiros de pessoas com HIV são seropositivos, e muitos não fazem teste. As novas directrizes da OMS recomendam formas de ajudar pessoas seropositivas a notificar os seus parceiros sobre o seu status e incentivá-los a fazer o teste.

“Ao oferecer auto-testes de HIV, podemos empoderar as pessoas a descobrir os seus próprios status de HIV e também a notificar seus parceiros e incentivá-los a fazer o teste”, afirmou o director do Departamento de HIV da OMS, Gottfried Hirnschall.

Para Gottfried Hirnschall, isso deve levar mais pessoas a saber de seus status e ser capaz de agir.

A OMS apoia a distribuição gratuita de kits de auto-teste e permite que a compra dos kits seja a um preço acessível.

Neste momento, três países da África Austral estão a ser apoiados com a implementação em larga escala do auto-teste por meio do projecto STAR, financiado pela UNITAID.

ANG/Inforpress


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw