Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 17 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Política/ MDG considera grave nomeação de Umaru Sissoko ao cargo de Primeiro-ministro

2016-12-01

(ANG) - O líder do Movimento Democrático Guineense (MDG) considerou de grave a decisão do Presidente da República, José Mário Vaz de nomear Umaru Sissoko Embalo como novo Primeiro-ministro do governo inclusivo.



Citado pela Rádio Jovem, Silvestre Alves considera que a escolha feita pelo Presidente da República demonstra uma total banalização do Estado, por ter sido seleccionado alguém com pouca credibilidade para assumir as redes da governação do país.

Segundo Alves, a nomeação de Umaru Sissoko é altamente questionável, tendo perguntado sobre qual é a confiança que se pode ter no atributo do seu curriculum vitae.

“Por mais fundos que este homem pode mobilizar para a Guiné-Bissau, mas amanhã quem sabe os problemas que esses fundos poderão trazer para o país”, questionou lembrando que nada se dá de graça.

O dirigente de MDG revelou que o Presidente da República continua a cometer erros graves e que resultam na banalização das instituições do Estado.

Adiantou que, a atitude de José Mário Vaz é intolerável, porque colocou o seu cargo em causa, tendo questionado sobre que credibilidade detém hoje o chefe de Estado junto da população.

Por outro lado, lamentou que os signatários do acordo alcançado em Conacri, andam a fazer interpretações diferentes. “Para mim, assiste-se a uma inobservância do Acordo de Conacri, por isso o mesmo deve ser submetido ao Tribunal para maior esclarecimento.

Silvestre Alves disse que, se juridicamente o problema não for resolvido então os jovens devem sair na rua para dizer basta, porque não “vamos” aceitar que “pessoas aventureiros” estejam a brincar como o “nosso” futuro.

Concluiu que o único culpado de tudo é o Presidente República, José Mário Vaz.

ANG/PFC/JAM /SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw