Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Terça, 11 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Crise política/ Presidente da ANP pede intervenção da Comunidade Internacional para apaziguar ânimos entre políticos

2016-12-09

(ANG) – O Presidente da Assembleia Nacional Popular (ANP), Cipriano Cassamá pediu hoje a Comunidade Internacional para ajudar a apaziguar os ânimos no seio da classe política guineense.



Citado pela Rádio Sol Mansi o Conselheiro Político do Presidente da ANP, informou que Cipriano Cassamá pediu as organizações internacionais para servirem de mediador e trabalharem para conter as partes desavindas.

António Óscar Barbosa disse que o líder do hemiciclo convocou os embaixadores do chamado “P5”, ou seja a ONU, a CEDEAO, a União Africana, União Europeia e a CPLP na Guiné-Bissau tendo-os informado do conteúdo e os resultados da sua missão de auscultação junto ao Presidente Alpha Conde, mediador da CEDEAO para a crise guineense.

“Convido-vos a falarem com todos os políticos nacionais no sentido de haver contenção e resfriamento de posições para facilitar as tarefas da CEDEAO e do seu mediador na próxima cimeira da organização em Abuja Nigéria no dia 17 do mês em curso “, informou o porta-voz, citando o Presidente da ANP.

Segundo o mesmo, o Chefe de Estado da Guiné Conacri teria aconselhado o Presidente da ANP para não revelar o conteúdo das reuniões entre ambos, uma vez que, conforme exige o protocolo, ele, enquanto medidor designado pela organização sub-regional, deve, em primeiro lugar, apresenta-lo a CEDEAO e, só depois, faze-lo as autoridades nacionais com vista a correcta aplicação do Acordo de Conacri.

Por outro lado Óscar Barbosa frisou que o “P5” informou a Cipriano Cassamá de que a declaração do representante da CEDEAO no país, não vai de acordo com as dos países membros da referida organização e da comunidade internacional em geral.

“Isto deixou-nos muito mais claro e o Presidente da ANP pediu aos embaixadores presentes na reunião para que fizessem o papel de mediadores com o objectivo de acalmar os ânimos dos guineenses e procurar uma saída airosa da crise vigente “ concluiu Óscar Barbosa.

ANG/MSC/ÂC/JAM


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw