Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quinta, 13 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Política/ Líder do Movimento Patriótico pede demissão de José Mário Vaz

0000-00-00

(ANG) - O líder do Movimento Patriótico (MP) uma formação política extra parlamentar disse segunda-feira que o Presidente da República perdeu a legitimidade e capacidade de continuar a governar pelo que deve demitir-se do seu cargo.



Citado pela Rádio Jovem, José Paulo Semedo disse que fez esta consideracao na sequência da divergência que existe entre José Mário Vaz e o Presidente da República da Guiné- Conacri, Alfa Condé, mediador da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental ( CEDEAO ).

Segundo ele, Alpha Conde teria informado que houve consenso na escolha da figura de Augusto Olivais pelos signatários do acordo de Conacri para assumir o cargo do Primeiro-ministro da Guiné-Bissau.

Adiantou que, José Mário Vaz deve reconhecer a falha, porque ele não estava presente na assinatura do acordo de Conacri, por isso não deve desafiar a informação do mediador indigitado pela CEDEAO para resolução do conflito político na Guiné-Bissau.

O antigo Pastor da Igreja Evangélica de Bissau revelou que o Presidente da República da Guiné-Bissau esta a criar um sistema de regime político não presidencialista, mas sim “ super- presidencialista”.

O Líder do Movimento Patriótico salienou que CEDEAO não reconheceu Umaru Sissoko como Primeiro-ministro, porque não foi nomeado de acordo com a Constituição da República da Guiné-Bissau.

O Presidente da República depois de chegar neste fim de semana último da cimeira dos Chefes de Estados da CEDEAO, realizado em Abuja, capital da Nigéria, em declarações aos Jornalistas no aeroporto internacional Osvaldo Vieira disse que não houve uma figura de consenso pelos subscritores do acordo de Conacri, por isso nomeou Umaru Sissoko Embalo para o cargo de Primeiro- ministro da Guiné-Bissau.

ANG/ PFC/sg


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw