Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Sexta, 16 de Novembro de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Rússia/ Declaração conjunta de Moscovo propõe acções para a paz na Síria

2016-12-22

(ANG) - A Rússia, a Turquia e o Irão aprovaram na terça-feira uma declaração para dinamizar o processo de paz na Síria, para o qual os países se propõem separar as milícias opositoras ao Governo liderado por Bashar al Assad dos grupos extremistas.



“Acordámos uma declaração conjunta com medidas destinadas a relançar o processo político na Síria para pôr fim ao conflito no país”, disse o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov.

Os três países propuseram-se a elaborar um acordo de paz entre Damasco e a oposição armada e colocaram-se à disposição para serem mediadores do seu cumprimento.

“Um acordo autêntico ajuda a dar um novo impulso para o reatamento do processo político na Síria em consonância com a resolução 2.254 do Conselho de Segurança da ONU”, disse Sergei Lavrov.

O ministro russo destacou que os três países confirmaram a sua “firme vontade de combater em conjunto o Estado Islâmico e a Frente al Nusra”. O compromisso de Moscovo, Ancara e Teerão dá um forte relevo ao “respeito à soberania, à independência, à unidade e à integridade territorial da República Árabe da Síria.”

Segundo o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlüt Çavusoglu, a reunião de terça em Moscovo abordou também a possibilidade de garantir-se a evacuação completa da cidade de Aleppo e de estender o cessar-fogo a todo o território sírio. “Agora, está a terminar a evacuação. Esperamos que seja questão de um ou dois dias, no máximo”, disse o embaixador turco Çavusoglu.

O ministro russo Sergei Lavrov considerou que o formato trilateral é o mais eficaz para resolver o conflito sírio e lamentou que os Estados Unidos não confirmem com factos a sua vontade de encontrar uma saída para a crise no país árabe.

Apesar do assassinato do seu embaixador na Turquia, a Rússia decidiu prosseguir com as consultas a três com os ministros das Relações Exteriores e da Defesa da Turquia e do Irão. O Kremlin garantiu que a morte do seu embaixador Andrey Karlov pelas mãos de um policial turco não afecta os actuais esforços diplomáticos para conseguir a solução do conflito.

O Presidente russo, Vladimir Putin, propôs, na semana passada, realizar negociações sírias em Astana, capital do Cazaquistão, a fim de relançar o processo de paz, cuja última rodada de reuniões aconteceu em Abril em Genebra.

“O crime é, sem dúvida, uma provocação para impedir a normalização das relações russo-turcas e conturbar o processo de paz na Síria”, disse Putin. O líder russo lembrou que as negociações de paz são apoiadas activamente pela Rússia, Turquia, Irão e outros países interessados no fim do conflito sírio.

ANG/JA


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw