Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 10 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Crise política/ Gabinete do Presidente do Parlamento acusa PR de ser factor de instabilidade no país

2016-12-28

(ANG) – O Gabinete do Presidente do Parlamento exorta o Presidente da República a “concentrar as suas energias na implementação dos Acordos de Bissau e de Conacri e na resolução dos graves e permanentes problemas que afectam ao povo, ao invés de continuar com declarações inflamatórias”.



Estas palavras foram proferidas hoje pelo Assessor de Imprensa de Cipriano Cassama, em jeito de reação às denúncias do Presidente do partido APU-GB (Nuno Nabiam), em como “José Mário Vaz tem um plano para forçar a aprovação do Programa do Governo de Umaro Sissoco Embalo, através de assalto ao Parlamento, detenção do seu líder e constituição de uma nova mesa“, que passaria a dirigir o órgão.

“Pela sua gravidade, as mesmas devem merecer preocupação e repúdio de todos os guineenses e da comunidade internacional”, acrescenta Inácio Tavares na sua comunicação à imprensa.

Com o objectivo de revelar que é o factor de instabilidade no país, a Assessoria da Imprensa do Presidente da Assembleia Nacional Popular (Parlamento) acusa o Chefe de Estado, José Mário Vaz, nomeadamente de “recusar a cumprir os Acordos de Bissau e Conacri”, para a resolução do impasse político na Guiné-Bissau há quase dois anos.

O Gabinete do Presidente do parlamento que também acusa o “Movimento de Apoio ao Grupo dos 15” deputados expulsos do PAIGC de estar a promover violência, afirma que Cipriano Cassama “vai continuar a pautar a sua actuação conforme os preceitos constitucionais e regimentais”.

Por fim, Inácio Tavares afirma que o Presidente do Parlamento “não manda” nos seus órgãos, dado que são “autonómos”, e que os mesmos deliberam na base de orientações políticas dos seus membros.

Por isso, de acordo com a Assessoria da Imprensa do Presidente da Assembleia Nacional Popular (ANP), os mesmos “são responsáveis pelas suas próprias e respectivas deliberações.

Entretanto, sabe a ANG junto do Gabinete do Presidente do Parlamento, de que, Cipriano Cassama vai manter quinta-feira um encontro com as representações das organizações internacionais no país, conhecido com o nome de “P-05”, para lhes informar da alegada ameaça a sua integridade física .

ANG/QC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw