Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Sexta, 18 de Agosto de 2017
Todas as categorias
Desporto
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


CAN 2017/ Presidente da FFGB promete presença do país nas fases finais dos próximos CAN,s

2017-01-05

(ANG) - O Presidente da Federação de Futebol da Guiné-Bissau (FFGB) garantiu hoje que, enquanto estiver a frente da organização, o país estará presente em todas as fases finais do Campeonato Africano das Nações (CAN,s).



Manuel Irénio Nascimento Lopes deu esta garantia durante a palestra organizada pela instituição que dirige e subordinada ao tema "Evolução do Futebol Guineense", ao qual assistiram os 26 jogadores pré-convocados para a fase final do Campeonato Africano das Nações (CAN 17) a decorrer de 14 de Janeiro a 5 de Fevereiro, em Gabão.

"Tenham a certeza que a Guiné-Bissau estará presente no CAN de 2019", avançou o Presidente da FFGB que exortou aos guineenses a unirem-se a volta da "nossa" selecão nesta sua caminhada "histórica" rumo ao Gabão.

Por outro lado, agradeceu à todos que, de uma forma a outra, o apoiam no seu mandato a frente da instituição nomeadamente o seu staff, tendo dedicado a saga feita pelos "Djurtos" à memória do falecido dirigente desportivo, Ahmed Ould Ahmed.

"Sintamos o orgulho de sermos guineenses" proclamou o Presidente da FFGB que vincou que o país nunca havia tido um feito histórico tal como este, e estendeu o orgulho da pertença ao continente africano.

Convidado a falar do percurso histórico do país, da sua independência a esta parte, o analista, historiador e político guineense, Fernando Delfim da Silva comparou a selecção nacional com a geração dos jovens combatentes que lideraram a luta armada para a independência nacional, os quais apelidou de "Rapazes da China".

Realçou que os "Os Jovens de Ouro", como apelidou os jogadores da selecção são dignos de reverência, porque conseguiram resgatar a auto-estima do povo guineense numa altura em que o país se encontra vergado perante a crise política que assola o país desde 2015.

O evento contou com um painel misto de político, historiadores, ex-árbitro, Gregório Badupa e ex-jogador, Nelson António Soares da Gama (Toni) os quais falaram aos jogadores das suas experiências e os momentos mais marcantes nas suas carreiras.

ANG/JAM/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw