Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quarta, 19 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Política/ Lançada Petição Pública para regresso de cidadãos exilados

2017-01-06

(ANG)- Um grupo de cidadãos, coordenados pelo ex-ministro, Fernando Gomes lançou quinta-feira, em Bissau uma petição pública para o regresso de políticos exilados no estrangeiro, destacando-se entre eles o ex-Primeiro-ministro e candidato Presidencial, Carlos Gomes Júnior.



O chamado *Movimento Nô Djuna mon pa fidjus di tchom riba cassa* que em português significa, unamo-nos para o regresso à casa dos filhos desta terra, pretende recolher 50 mil assinaturas .

“Pretende, de imediato, a recolha de 50.000 assinaturas de cidadãos que, assumindo o compromisso de acolhimento e de proteção de políticos no exílio, consigam, por sua vez, junto dos Órgãos da soberania da Guiné-Bissau igual responsabilidade perante não só os subscritores da petição pública, como perante todos os guineenses e a comunidade internacional”, disse Fernando Gomes.

Acrescentou que só juntos é que se possam contribuir para a construção de um País democrático, tolerante, Estado responsável, seguro, credível e respeitado, um Estado cujo desenvolvimento assente na paz, na justiça social, no respeito de todos e de cada um.

“O exílio é uma situação absolutamente inaceitável em qualquer país, porque é a expulsão da pátria, é o desterro, é o degredo, por isso viver no exílio é um sentimento de perda e de vazio constante”, considerou o coordenador do referido movimento.

Sublinhou que uma pessoa exilado pode até estar junto de amigos e familiares, mas o exílio faz nascer uma saudade especial dos que ficaram para trás e da sua pátria em particular.

A campanha decorrerá de 5 de Janeiro à 31 de Março do corrente ano em todo o território nacional e na diáspora.

O Movimento Nacional Cívico denominado “Nô djunta Mom pa Fidjus di Tchom riba Casa” foi criado congregando elementos da sociedade civil organizada, entidades religiosas, partidos políticos e líderes tradicionais e cidadãos em nome individual, no País, e na diáspora.

ANG/AALS/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw