Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quinta, 13 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Política/ “PAIGC não tem espaço para pessoas desleais”, diz Domingos Simões Pereira

2017-01-24

(ANG) – O Presidente de Partido Africano da Independecia da Guine-Bissau e Cabo-verde (PAIGC), afirmou que já não existe espaço no partido para pessoas infiéis aos sues princípios e estatutos.



Domingos Simões Pereira que falava num comício popular na vila de Cassaca, sector de Cacine, região de Tombali, na comemoração de mais um aniversário do início da luta armada de libertação nacional, disse que os libertadores já tinha vivido antes momentos de desentendimento e desrespeito ao partido.

“Foi por esta razão que Amílcar Cabral, pai e fundador da nacionalidade guineense, decidiu convocar o congresso em Cassaca, de forma a poderem dialogar e estruturar melhor o partido”, recordou, afirmando que é exatamente o que estão a fazer hoje neste mesmo local histórico.

O Presidente do PAIGC acrescentou que o percurso realizado quatro dias na zona sul do país concretamente nos sectores de Catió, Guiledje e Cassaca, serve para o partido efetuar e resgatar os seus militantes residentes naquela localidade.

Simões Pereira afirma ainda que 2017 será de vitória para o PAIGC, frisando para tal que uma das responsabilidade do partido, é de descobrir os verdadeiros militantes e simpatizantes alegando que muitos se aproveitam do partido para servir os seus interesses.

“Disciplinar o partido é um processo que começamos e não voltaremos àtras, sem que o respeito ao nosso estatuto seja cumprido na íntegra pelos militantes e simpatizantes assim como aos seus dirigentes”, disse Simões Pereira.

O líder da maior formação partidária do país destacou que o respeito a Constituição é uma obrigacão de todos, sem excepção.

Aquele político apelou, por outro lado, a Comunidade internacional à assumir as suas responsabilidades, no que toca com a crise política vigente no país.

O Presidente do PAIGC disse ainda que durante o seu mandato como Primeiro-ministro, o seu governo trabalhou muito no sentido da Seleccão Nacional de Futebol “Djurtus” conseguir “sete” pontos que lhe permaneceu no grupo dos que disputavam o apuramento para a maior prova de Futebol africana (CAN-2017).

“Vimos hoje que os outros assumiram o total protagonismo de que a ida ao CAN2017 se deve aos seus esforços e querem afastar-nos da Seleção de todos nós. Mas isso não nos interessa e apelo a todos aqui presentes e aos guineenses em geral é de sairmos à rua para receber aqueles grandes heróis que deram os seus máximos no Gabão para defender a nossa pátria em termos de futebol”, exortou o Presidente de PAIGC.

ANG/LLA/ÂC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw