Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Sábado, 21 de Outubro de 2017
Todas as categorias
Desporto
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


CAN 2017/ Burkina Faso pôs fim ao sonho dos "Djurtus"

2017-01-25

(ANG) - A seleção nacional de futebol da Guiné-Bissau perdeu frente a sua congénere de Burkina Faso por 0-2 no seu terceiro jogo do grupo A que teve lugar na noite de 22 na cidade de Franceville, a mais de 700s quilómetros de Libreville, capital do Gabão.



Os pupilos do "mister" Baciro Candé, mostraram-se cansados e com muita pouca experiência ao longo de todo o encontro, tal como o reconheceu o próprio treinador no fim do jogo. Entretanto, a equipa guineense desperdiçou várias oportunidades de marcar.

Aos 11 minutos teve lugar o primeiro tento dos burkinabés através de um auto-golo, num corte mal feito pela defesa guineense, Rudy, o qual traiu o guarda-redes, Jonas, acabando o esférico por parar no fundo das malhas, apesar do enorme esforço feito pelo seu colega, Tomás Dabo.

Ante esta desvantagem, os "Djurtus" imprimiram uma nova dinâmica ao longo de toda a primeira parte da partida, com o fito de repor a igualdade mas em vão, pois a muralha defensiva do adversário não abria brecha.

Por exemplo, o avançado Piqueti, numa das suas habituais arrancadas súbitas, driblou a defesa contrária e rematou forte, mas a bola passou a poucos centímetros da baliza do Burkina Faso defendida por Kouakou Koffi.

Foi neste avalanche de ofensivas efetuadas pelo conjunto guineense, que numa jogada rápida de contra-ataque os burkinabés voltaram a apontar , e pela segunda vez, no minuto 57, por intermédio do seu capitão, Bertrand Traouré.

Aos 62 minutos, Baciro Candé fez sair o médio, Nanísio fazendo entrar no seu lugar Lassana Camará, para dois minutos depois trocar o avançado Piqueti pelo médio, Aldair, mas a partida não sofreu nenhuma alteração em termos de golo.

No final, o treinador guineense reconheceu o mérito do adversário como "justo" ganhador, por ter desmonstrado muita experiência e maturidade, ao contrário do selecionado nacional que ainda por cima perdeu muitas oportunidades.

"Fizemos de tudo para contrariar o resultado, mas, infelizmente, faltou-nos experiência", reconheceu Baciro Candé que acrescentou que a ambição do conjunto era ir o mais longe possível nesta competição, "mas quis o destino que seja diferente..."

Prometeu mais trabalho e dedicação para ter um grupo "mais lúcido, amadurecido, organizado e com muita experiência" para marcar presença no próximo CAN, a ter lugar em 2019, nos Camarões.

Eis o onze inicial da Guiné-Bissau: Defesas: Jonas, Tomas DaboRudy, Juary e Mamadu Candé; Médios: Zezinho, Santos, Nanísio, Toni Brito e Piqueti Djassi; Avançado: Frederic Mendy

Suplentes: Emmanel Mendy, Lassana Camará, Eridson, Abel Camará, Bocundji Cá, Papa M'baye, Agostinho Soares, Sami, João Mãrio, Idy Computador, Aldair e Rui Dabo

Trio de arbitragem formado por Bamlak Tessema Weyesa da Etiopia, Abel Baba da Nigéria e Mohammed Ibrahim do Sudão.

José Augusto Mendonça, enviado especial da ANG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw