Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Sábado, 21 de Outubro de 2017
Todas as categorias
Cultura
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Cultura/ Artista plástico acusa autoridades guineenses de não dar atenção à Arte

2017-02-02

(ANG) – O artista plástico guineense, Carlos Alberto Teixeira de Barros, vulgarmente conhecido por “CarBar” criticou hoje que os governantes guineenses desconhecem as artes e que nunca demostraram algum interesse pelo sector.



Em declarações exclusivas à ANG, o artista disse que nenhum ministro da Cultura chegou de participar nas exposições de artistas plásticos aqui no país, salientando que o único governante que marcava presença era o então Primeiro-ministro, Carlos Gomes Júnior.

“A arte é desconhecida e não existe nenhum apoio por parte dos governantes. Os apoios de que já beneficiamos foram dados pelo Instituto de Camões, Centro Cultural Brasileiro e francês para exposições dos nossos quadros, apesar termos uma Associação“, frisou.

Carlos Barros afirmou que é difícil viver como artista plástico na Guiné-Bissau, porque ganham pouco com os seus trabalhos.

Lembrou que ele é arquitecto de profissão e autodidacta, acrescentando que tem se dedicado à artes plásticas desde criança, tendo aprendido muito com Augusto Trigo e outros.

Explicou que durante seu estudo na antiga União Soviética, frequentava ateliê de alguns pintores, para conhecer de perto quais os materiais que eram necessários para pintar, e disse que participou em várias exposições como estudante, em muitos países.

CarBar referiu que apesar de ter pintado mais de mil quadros durante a sua carreira artística ganha mais com a sua própria profissão vendendo plantas e projectos de casas, esculturas e traduções linguística.

Anunciou que tem um projecto em parceria com a Embaixada de Portugal no país e o Instituto Camões para fazer uma antologia de artistas plásticos, desde pintores, escultores, tecelões e grafistas, e que também pretende editar livros sobre as artes.

A concluir Carlos Barros revelou que, entre os seus quadros, o que mais o marcou é o de um ancião, pensando no futuro da geração vindoura.

ANG/JD/JAM/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw