Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Terça, 26 de Setembro de 2017
Todas as categorias
Economia
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Campanha de Caju 2017/ Presidente da ANCA perspectiva exportação de mais de 200 mil toneladas

2017-02-13

(ANG) – O Presidente da Agência Nacional de Caju (ANCA) disse hoje que o país prevê exportar mais de 200 mil toneladas da castanha de caju na campanha do presente ano.



Em entrevista exclusiva a ANG,Henrique Mendes disse que a campanha do ano passado foi melhor do que do de 2015, uma vez que as exportações atingiram 192 mil toneladas ,e que este ano perspetiva-se a exportação de mais de 200 mil toneladas deste produto estratégico da economia da Guiné-Bissau.

“Por isso já está praticamente concluído a primeira etapa da preparação da campanha de 2017, que tem a ver com a preparação de diplomas em relação a cadeia de comercialização onde estará definida tudo o que tem a ver com a venda interna e externa de caju, definição do perfil de intermediários e o processamento industrial “disse.

O Presidente da ANCA-GB disse ainda que os parceiros da área de caju pretendem fazer algumas alterações que julgam necessárias no documento com vista a tornar as leis do sector de caju muito forte, definir regras claras para se evitar de operadores informais, entre outros.

Henrique Mendes acrescentou que já foi entregue ao Governo o referido documento que na semana passada foi objeto de discussão na reunião do Conselho de Ministros e que se guardar a sua aprovaçã,o na próxima reunião do colectivo governamental, para de seguida ser divulgado .

“Também devemos fazer um trabalho de sensibilização junto aos produtores de caju no que tem a ver com as boas práticas agrícolas de produção ou seja, como devem lidar com o produto, desde a colheita, secagem, embalagem e venda. Tudo isso vai ao encontro do que se quer para ter uma boa campanha de comercialização da castanha de caju”, explicou.

Este responsável da Agência Nacional de Caju disse que, a semelhança do que foi feito no ano passado, vão continuar a acompanhar a evolução da produção e do preço do produo ao nivel inernacional para fornecer aos produores.

Falando de inovações henrique mendes referiu que este ano as castanhas serão exportadas em sacos com a descrição da guine-bissau .

Referiu-se ainda a pretensaão de se facilitar o embarque da casanha através da chamada *via verde*, que deverá faciliar a entrada de contentores e camiões, de modo a que as embarcações possam decorrer de forma mais rápida, para se evitar o prolongamento do embarque até Outubro ou Novembro.

Sobre transformação local da castanha de caju, Henrique Mendes disse que é uma solução incontornável no sector e que ainda hoje, segunda-feira terá uma reunião com o Ministro de Comércio , técnicos do Ministério da Energia e Indústria e a maioria dos donos das fábricas de transformação de caju na Guiné-Bissau para discutir a intenção do Governo no que concerne a criação de condições para o relançamento das unidades de transformações de caju.

“Já na próxima semana chegará ao país uma missão Vietnamita para trabalharmos, em conjunto, na realização de diagnósticos das fábricas e formar aos produtores da castanha , no quadro de uma estratégia sub-regional, “disse.

ANG/MSC/ÂC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw