Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quinta, 13 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Política/ Presidente da ANP considera «incendiário» discurso do Presidente

2017-02-13

(ANG) - O presidente da Assembleia Nacional Popular(Parlamento da Guiné-Bissau) Cipriano Cassamá, classificou no domingo de incendiário o último discurso do Presidente do país, José Mário Vaz, feito no hemiciclo para o encerramento de um simpósio sobre a reconciliação entre os guineenses.



No seu discurso, no sábado, e perante deputados, convidados nacionais e internacionais, o Presidente guineense acusou a direção do Parlamento de estar a bloquear o país com a sua recusa em agendar o debate do programa do Governo.

Segundo José Mário Vaz, tirando o «bloqueio deliberado» do Parlamento, a Guiné-Bissau vive numa situação de calma e tranquilidade total.

Em resposta e através de um comunicado a que a agência Lusa teve acesso, o presidente do Parlamento guineense afirma que «mais uma vez» o povo e a comunidade internacional «acabaram por assistir a um discurso incendiário» do Presidente da República.

O presidente do Parlamento diz que não aceita a argumentação do chefe do Estado quando este afirma que Cipriano Cassamá se tem recusado a convocar a plenária do hemiciclo para a discussão do programa do Governo, lembrando que tal decorre da própria lei.

Cassamá lembra a José Mário Vaz que o atual Governo, liderado por Umaro Sissoco Embaló, não obedeceu aos acordos firmados entre a classe política pelo que não poderá ter qualquer apoio do Parlamento.

O líder do Parlamento entende ainda que quando o chefe do Estado evoca a existência de uma crise alimentada pelo hemiciclo está a ter uma «atitude igual à de Pôncio Pilatos e ao mesmo tempo a tentar tapar o sol com uma peneira».

Cipriano Cassamá diz ainda que ao falar da forma como falou no encerramento de um encontro sobre a reconciliação nacional, sendo o próprio presidente honorário da comissão, José Mário Vaz acabou por fazer um «discurso incendiário, inapropriado e inoportuno».

ANG/Lusa


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw