Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quinta, 13 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Dificuldades financeiras/ Presidente Mario Vaz pede mais trabalho à entidades nacionais e Comunidade Internacional

2015-08-25

(ANG) – O Presidente da República recebeu hoje, em audiência conjunta, o novo Primeiro-ministro, representantes da classe castrense, sociedade civil, do sector Privado (Bancos) e o representante do Secretário-Geral da ONU assim como do Corpo Diplomático acreditado no país tendo com ambos analisado o futuro do país.



A saída do encontro, o representante do Secretário-Geral das Nações Unidas (RSG/ONU) no país disse que o Presidente da República manifestou-lhes a sua confiança sobre o futuro do país assim como a necessidade de se implementar uma tónica no trabalho, para se ultrapassar as dificuldades financeiras e economicas que o pais enfrenta.

“O Presidente da República disse que está a contar com a Comunidade Internacional para ajudar a Guiné-Bissau no seu percurso para o desenvolvimento estável”, revelou Miguel Trovoada.

Trovoada reiterou a disponibilidade da Comunidade Internacional em apoiar a Guiné-Bissau através das suas autoridades legitimas.

Quanto a apresentação do relatório sobre a situação do país no conselho de segurança da ONU agendada para este mês, disse que o acto terá lugar ainda este mês mas na ausência do Presidente da República que não poderá tomar parte, como previsto, no encontro com o Secretário-geral das Nações Unidas devido a actual situação politica do país.

O RSG/ONU reconheceu que o país está a atravessar um momento difícil e que não é altura para a Comunidade Internacional baixar os braços nem deixar o povo guineense de lado.

Trovoada referiu que a Comunidadade Internacional deve estar a acompanhar e a sensibilizar as partes em conflito sobre a necessidade de encontrar um clima de paz e estabilidade através do diálogo com vista a conduzir o povo à via do desenvolvimento almejado.

Por sua vez, o diretor nacional do Banco Central dos Estados da Africa Ocidental (BCEAO) disse que o encontro serviu para a partilha das preocupações sobre o desenvolvimento do pais com o Presidente da Republica nos vários sectores especialmente no campo produtivo que constitui o fator de criação de riquezas.

“Significa que haverá mais emprego, melhor distribuição e melhor condição de vida para as populações”, assegurou El Haj Mamadu Fadia.

Garantiu que o Banco Central vai disponibilizar aos bancos comerciais financiamentos na ordem de e 1.200.000.000fcfa (um bilião e duzentos milhões de francos cfa) semanalmente, para sustentar as necessidades de financiamento do sector economico.

Mamadu Fadia disse que o sector bancário do país está de boa saúde porque tem liquidez do banco Central onde participaram com cerca de 50 por cento no financiamento de títulos da dívida pública retida pelo governo.

O economista referiu que o nível de financiamento da economia por parte do sector privado ronda os 68 mil milhões de francos cfa.

ANG/FGS/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw