Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quinta, 13 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Política/ Ex. ministro dos Negócios Estrangeiros guineense confirma "cansaço" de uma parte de países com a crise no país

2017-02-17

(ANG) – O Ex-ministro dos Negócios Estrangeiros da Guiné-Bissau pediu continuação de assistência ao país para que possam prosseguir com o financiamento a iniciativas para mulheres, crianças e jovens.



Em entrevista à Rádio ONU, o conselheiro político e diplomático do primeiro-ministro da Guiné-Bissau disse que deixava as Nações Unidas com sinais de fadiga internacional com a crise no seu país.

Soares Sambú, que já foi ministro guineense dos Negócios Estrangeiros, apresentou a posição oficial do governo na série de encontros sobre o país realizados esta semana.

"É um apelo aos políticos porque irremediavelmente a solução passa necessariamente pela vontade expressa dos guineenses, mas naturalmente que a situação já vem se arrastando há bastante tempo e pode-se notar algum cansaço de uma parte da comunidade internacional apesar do interesse em continuar a assistir a Guiné-Bissau. O nosso apelo foi de continuarem a assistir-nos e a apoiar-nos".

O diplomata participou em sessões do Conselho de Segurança e da Configuração da Guiné-Bissau da Comissão para a Consolidação da Paz, PBC.

Soares Sambú disse que teve a perceção de que programas e projetos de desenvolvimento vão continuar a ser financiados pela PBC, um grupo de nações que apoia países que acabaram de sair de situações de conflito. A estratégia para a Guiné-Bissau é liderada pelo Brasil.

O auxílio continuaria a ser dado a iniciativas que envolvem "camadas mais vulneráveis como mulheres, crianças e jovens".

Sambu frisou, entretanto, que é preciso uma "maior vontade política" para superar a atual crise institucional para que haja um financiamento internacional sustentado para a reconstrução e o desenvolvimento socioeconómico da Guiné-Bissau.

Nas Nações Unidas, o emissário teve encontros como o Comité de Sanções sobre o país e com representantes de vários blocos regionais e Estados representados na organização.

ANG/Rádio ONU


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw