Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quinta, 19 de Outubro de 2017
Todas as categorias
Cultura
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Carnaval 2017/ “Não vai haver concurso de grupos este ano“, diz Diretor-geral da Cultura

2017-02-22

(ANG) – O Diretor-geral da Cultura anunciou segunda-feira que o carnaval deste ano não vai ter o habitual desfile nacional, devido a insuficiência de meios financeiros para o efeito.



Citado pelo Rádio Bombolom-FM, João Cornélio Gomes Correia informou ainda que a instituição que dirige precisa de 217 milhões de francos CFA, para realizações de todas as actividades carnavalescas, desde os desfiles regionais e nacional entre outras, mas que recebeu do governo apenas 30 milhões de francos CFA.

“Os 30 milhões de francos CFA que o executivo nos deu não são suficientes para a realização de todas as actividades programadas e nem tão pouco para o concurso nacional, em que a Direcção Geral da Cultura enquanto entidade organizadora é responsável para a garantia de transporte e alojamento dos 9 grupos concorrentes que vão participar no referido desfile e que cada qual é composto por 100 ou 150 elementos”, explicou João Cornélio Correia.

O Diretor-geral da Cultura acrescentou que, dos 30 milhões que recebeu do executivo, 18 milhões vão para os desfiles regionais, onde cada uma usufruirá de dois milhões de francos CFA, e que dois milhões de francos vão ser utilizados na organização do carnaval infantil.

Segundo Cornélio Correia, no desfile do sector autónomo de Bissau, na categoria de grupo, o primeiro lugar receberá quatro milhões, o segundo dois e terceiro lugar, um milhão de francos CFA.

Ao passo que na categoria das rainhas, a vencedora levará um milhão, o segundo 500 mil e terceiro 250 mil francos CFA.

Na categoria de máscaras, o primeiro classificado deve receber 500 mil, o segundo 300 e o terceiro 200 mil francos CFA.

João Cornélio Gomes Correia disse que este ano a Direcção Geral da Cultura não beneficiou do patrocínio habitual de uma das duas empresas de telecomunicações que operam no país, nomeadamente a MTN e Orange Bissau, e como motivo aponta o facto de as duas terem dado apoio financeiro a participação da selecção nacional no CAN2017.

ANG/LPG/ÂC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw