Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Terça, 18 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Evasão fiscal/ Botche Candé exige maior empenho da Guarda Nacional no combate ao fenómeno

2017-03-03

(ANG) – O ministro do Interior, Botche Candé promete “mão dura” contra a fuga ao fisco, fenómeno cujo combate é alegadamente dificultado por alguns agentes fiscais a troco de benefícios pessoais.



“Todos devem se empenhar para o aumento das receitas aduaneiras”, exortou o ministro num encontro quinta-feira em Bissau, com os efectivos da Guarda Nacional (que integra a corporação da Guarda Fiscal).

Não obstante, reconhecer o aumento das receitas, em relação a previsão feita, Botche Candé justifica o pedido como forma de “ assegurar o pagamento regular do salário, a provisão de medicamentos, a criação de postos de empregos e as construções de mais escolas e estradas”.

Como exemplo de sucesso da luta contra a evasão fiscal, o governante informou no sector aduaneiro, a previsão mensal das receitas era de 2.400 bilhões de Francos CFA, mas que em Fevereiro foram arrecadados 2.680 bilhões de francos cfa.

Contudo, o Ministro deixa claro que ainda há muito que fazer porque, segundo as suas palavras, “há informações que implicam certos efectivos no favorecimento da evação fiscal, em troca de benefícios particulares”.

O Ministro promete uma “mão dura” a “tais práticas e deu orientações ao Comandante Geral da Guarda Nacional à “transferir para outro departamento”, três guardas fiscais suspensos, por alegado comportamento à margem da lei no exercício das suas funções.

Botche Candé que promete “não ceder às chantagens das forças dos Guardas Fiscais”, sublinha que está determinado a fazer face à fuga ao fisco, mesmo que isto custe a sua vida.

“Nos últimos anos, o mundo vinha enfrentando uma crise financeira. Por isso, devemos ser muito rigorosos na cobrança das receitas públicas internas, em prol do bem estar dos guineenses”, aconselhou o governante.

Por fim, o Ministro do Interior apelou a união no pelouro que dirige, para que se possa cumprir as directrizes do governo.

O corpo da Guarda Fiscal é uma das estruturas paramilitares que integra o Guarda Nacional, sob tutela do Ministério do Interior, funciona junto as Alfândegas, na cobrança de receitas aduaneiras.

ANG/QC/JAM/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw