Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 20 de Novembro de 2017
Todas as categorias
Regiões
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Presidência Aberta/ Imames de Bafatá apelam ao perdão mútuo entre políticos para acabar com a crise

2017-03-24

(ANG) - O Imame central da região de Bafatá revelou ter hoje pedido ao Presidente da República José Mário Vaz para que haja perdão mútua entre os políticos guineenses no sentido de promover a paz e tranquilidade no pais.



Aladje Tcherno Culabio Ba que falava à imprensa a saída duma audiência que o chefe de Estado concedeu aos líderes religiosos e anciões daquela região acrescentou que este passo constitui um imperativo .

O chefe religioso advertiu ainda aos jornalistas para serem mais selectivos nos seus trabalhos e para não passarem mensagens incendiarias e de insultos proferidos pelos políticos.

"Se alguém utilizar palavras de ofensa ou de perturbação vocês devem cortar isso nas vossas emissões", disse o Imame Central que sustenta que conteúdos dessas podem ferir muitas sensibilidades e desencadear emoções contraditórias.

Por outro lado, destacou terem lembrado ao Presidente que Bafatá foi berço do líder da nacionalidade guineense, Amílcar Cabral pelo que não pode continuar na situação de falta de estradas asfaltadas, de escolas, centros de saúde, luz eléctrica, água potável entre outras necessidades básicas.

"Queremos que volte a vigorar a medida que isentava as crianças, grávidas e anciões de pagamento de consultas tal como acontecia, a bem pouco tempo", sublinhou Tcherno Culabio Ba.

A concluir o rol de pedidos, o religioso realçou ainda a necessidade de criação de um consulado da Arábia Saudita em Bafaáa por forma a facilitar os peregrinos locais na obtenção de vistos de entrada nas suas deslocações anuais à Meca.

Disse que em resposta, José Mário Vaz, além de pedir a unidade no seio dos guineenses exortou-os a darem a sua contribuição para o desenvolvimento do pais.

"Para tal, o dinheiro do Estado deve reverter-se ao tesouro público, pois só assim se poderá conseguir recursos para investir em diferentes áreas como a agricultura, saúde, educação, juventude entre outras", frisou citando o chefe de Estado.

O Presidente da República reuniu-se ainda com a juventude e mulheres da região, tendo estas lhe oferecido, a ele e a sua esposa, bem como alguns membros do governo prendas de panos tradicionais.

ANG/JAM/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw