Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quarta, 14 de Novembro de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


ONU/ António Guterres qualifica de “crime de guerra” ataque químico na Síria

2017-04-06

(ANG) - O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, lamentou quarta-feira que “crimes de guerra” continuem a ser cometidos na Síria, considerando “horrível” o ataque “químico” em Khan Sheikhun.



“Estes acontecimentos horríveis mostram infelizmente que os crimes de guerra continuam na Síria e que o direito humanitário internacional é violado constantemente”, disse Guterres à chegada a Bruxelas, onde participara numa conferência internacional sobre a Síria.

Entretanto os Estados Unidos, a França e o Reino Unido apresentaram esta terça-feira um projeto de resolução ao Conselho de Segurança da ONU, condenando o ataque químico e solicitando que seja efetuada uma investigação “completa e rápida”.

Exigiram os nomes dos pilotos que realizaram o recente ataque químico na Síria. O pedido faz parte do projeto de resolução, que apresentaram na quarta-feira durante a reunião de emergência no Conselho de Segurança da ONU.

O projeto de resolução pede uma investigação completa sobre o ataque perpetrado nas primeiras horas de terça-feira na cidade de Khan Sheikhun, em que pelo menos 72 pessoas morreram e dezenas foram feridas.

O piloto sírio Mohammed al-Hasouri, que partiu do aeroporto militar de Shayrat na terça-feira de manhã, pode não ter pensado que o seu nome pode seria listado internacionalmente e que seria perseguido.

De acordo com os depoimentos de residentes de Khan Sheikhun, Hasouri realizou há quatro dias um ataque semelhante usando armas químicas na zona rural de Hama, na cidade de Al-Lataminah.

Um observatório local encarregou-se de monitorar a atividade da força aérea do regime. No dia do ataque químico em Khan Sheikhun, monitorou que o mesmo jato que atacou Lataminah descolou, e às 6:00 da manhã começou a atacar Khan Sheikhun no noroeste da Síria.

A identidade do piloto ainda não está definida, no entanto, de acordo com o observatório, os membros da oposição que secretamente trabalham em posto chave do regime, disseram que Hasouri foi o piloto que realizou o ataque.

ANG/ e-Global Notícias em Português


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw