Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quarta, 19 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Crise Política/ Citadinos de Bissau preocupados com impasse na formação de novo governo

2015-09-02

(ANG) - Os citadinos de Bissau estão preocupados com o actual impasse político e com a demora na formação do novo governo, volvidos três semanas após a demissão do executivo de Domingos Simões Pereira.



Numa auscultação feita pela Agência de Notícias da Guiné(ANG)esta quarta-feira, Avito José Mindela, mecânico de profissão, disse que o país está parado há cerca de 20 dias, acrescentando que isso lhe preocupa muito porque as receitas do Estado vão baixar, e isso pode acarretar problemas ao actual Primeiro-ministro, em termos de pagamentos de salários aos funcionários públicos.

Mindela pediu ao Presidente da República, José Mário Vaz para pressionar ao Baciro Djá na formação do elenco governamental, a fim de arrancar o país, advertindo que em algumas instituições Estatais há fraca participação de funcionários.

Aquele cidadão referiu ainda que a decisão de manter ou não o actual Primeiro-ministro dependerá da decisão do Supremo Tribunal de Justiça e do Partido da Renovação Social (PRS).

"Na minha opinião, as solicitações que as pessoas estão a fazer ao Presidente da República para reconsiderar a sua decisão, acho que é difícil porque o JOMAV disse bem claro no seu discurso que não confia no antigo Primeiro-ministro", explicou.

Por sua vez, Ana Maria Indati, estudante, disse que a actual crise política tem vindo a causar alguns transtornos à população, nomeadamente nos disparos dos preços de produtos de primeira necessidade e sua escassez nos mercados.

Ana Indati afirmou, a titulo de exemplo, o escassez da cebola nos mercados, afirmando que comprou uma cebola por 250 francos ,valor que antes correspondia o meio quilograma.

"Isto significa que devido a crise política certas pessoas estão a tirar proveito com isso.

Peço ao Presidente da República para diligenciar, o mais rápido possível, a formação do novo governo para que o país volta a normalidade", disse.

Nelson Vítor Mendes, electricista de profissão, por seu lado, considera que o país não pode ficar parado, já que o Presidente da República nomeou e empossou o novo Primeiro-ministro .

Disse que este deve avançar formando seu governo para trabalharem em prol deste povo martirizado.

"Se o Supremo Tribunal depois veio a dar razão a quem a tem, é só cumprir a lei. Deve-se avançar com o elenco para que tudo volte a normalidade,” sugeriu Nelson Mendes.

A concluir, Diane Vieira da Silva, estudante universitária disse que o país já tem novo Primeiro-ministro e que este avance com a formação de um novo Governo, porque nas instituições estatais as receitas do Estado estão diminuindo durante esta crise e que isso pode influenciar nos pagamentos de salários.

ANG/JD/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw