Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quinta, 15 de Novembro de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Correia do Sul/ Estados Unidos instalam antimísseis

2017-04-27

(ANG) - Os Estados Unidos começaram quarta-feira a instalação do escudo antimísseis THAAD na Coreia do Sul, também designada de barreira de aço, entre protestos da população local, que se opõe à implantação deste sistema projectado para interceptar mísseis norte-coreanos.



Enquanto as forças norte-americanas na Coreia do Sul não anunciaram ou emitiram qualquer comunicado sobre a operação, um porta-voz do Ministério de Defesa sul-coreano confirmou à Agência Efe que a instalação começou perto da cidade de Seongju, no centro do país. Vários camiões descarregaram de madrugada na região habilitada para a instalação do Sistema de Defesa Terminal de Área a Grande Altitude (THAAD) diferentes equipas que compõem o escudo, considerou o porta-voz.

Projectado para abater mísseis em altas altitudes, uma bateria do THAAD inclui seis lançadores autopropulsão (cada um com 50 mísseis interceptores) e uma unidade de controlo de lançamento e comunicações conectadas a um potente sistema de radar de longo alcance de banda X. Centenas de cidadãos da região protestaram nas proximidades do local e tiveram que ser retirados por um dispositivo da Polícia, permitindo, finalmente, a entrada dos camiões, segundo informações da agência de notícias “Yonhap”.

Muitos dos moradores de Seongju, região agrícola famosa pelo cultivo de melões, estão preocupados com a possibilidade de que a sua região se transforme em alvo em caso de ataques norte-coreanos e também pelos efeitos que os potentes radares do THAAD podem ter na sua saúde e plantações agrícolas.

Outros acreditam que a instalação deve ser adiada para depois das eleições presidenciais, marcadas para o dia 9 de Maio, já que alguns candidatos, incluindo o favorito, o liberal Moon Jae-in, acreditam que a decisão da implantação seja revista pelo Executivo depois das eleições.

A situação, coloca Washington perante um paradoxo, o qual pode enfraquecer a estratégia de pressão a Pyongyang, no quadro do esforço para desarmar o seu sistema de carácter nuclear.

ANG/JA


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw